Artigos

A solução para sua microbiota [5 dicas para recriar sua flora do zero por Robynne Chutkan]

A solução para sua microbiota [5 dicas para recriar sua flora do zero por Robynne Chutkan] 1

Já ouviu falar do livro The Microbiome Solution (a solução para a microbiota)? A obra é um best-seller na sua área, a gastroenterologia. As dicas que a autora, Dra. Robynne Chutkan apresenta no livro são nada menos do que um imenso retorno à vida que uma vez tivemos. Ou seja, entra aqui no site por nos levar de volta à ancestralidade.

O mais lindo da obra é a integralidade com que ela trata do assunto. Você esperaria que um livro sobre microbiota tivesse listas e listas de alimentos, certo?

Tem também, claro, mas há ainda mais hábitos que você deve reincorporar na sua vida. Afinal, nenhum ser vivo é nutrido apenas por comida. E nossas bactérias são a prova disso.

melhorar microbiota digestão constipaçãoO dado que me fez olhar para este livro com mais carinho foi a ligação entre os bichos internos e os externos.

Nada mais discutido atualmente do que as espécies em extinção, a redução de plantas e até de nutrientes nos alimentos e no solo. A natureza externa está sendo devastada e a interna nunca está na pauta, certo?

Pois bem, hoje temos apenas 2/3 das bactérias que nossos antepassados tinham. Talvez, suas alergias saibam bem isso.

O que morre fora morre dentro também.

Para reduzir os danos desta tragédia ambiental interna, compilei as principais dicas da Chutkan apresentadas no livro. Lembre-se sempre: suas fezes devem ser regulares. Este é o grande indicativo de saúde. Vamos falar do nosso cocô então.

Aviso: o livro The Microbiome Solution está com 56% de desconto na Amazon, hoje (25 de março de 2019). De R$ 64 por R$ 28. Clique aqui para adquirir a obra e ajudar o Revolução Keto a seguir existindo.

O que é microbiota?

Um dos mais relevantes eixos de pesquisa científica atualmente, a microbiota é basicamente quem somos. Ela rege saúde mental e física. Os bichos que alimentamos nos formam. Somos um pequeno universo que precisa estar em equilíbrio.

Exagero? A microbiota que você desenvolve ao longo da sua vida pode revelar dados sobre a saúde dos seus pais, como e onde você nasceu, o que você comeu, onde morou, sua profissão, higiene pessoal, infecções, exposição a toxinas e químicos, além de níveis hormonais. Sua microbiota é tão individual, que ela é mais exata do que seu próprio DNA.

Estes bichinhos maravilhosos (não são apenas bactérias) são responsáveis pelas mais importantes funções do corpo. Ajudam a digerir o alimento, sintetizam vitaminas que o corpo não consegue fabricar, desintoxicam, neutralizam componentes geradores de câncer e treinam nosso sistema imunológico a distinguir quem é inimigo e quem é amigo (vamos lembrar do boom de doenças autoimunes e a decadência da nossa microbiota?).

A disbiose, o dano à microbiota, está na raiz de diversas doenças, como Crohn, colite ulcerativa, e síndrome do intestino irritável, mas também de doenças autoimunes, como problemas na tireoide, esclerose múltipla e diabetes tipo 1.

Quer mais? Já há estudos ligando alterações na microbiota ao autismo, à ansiedade e à obesidade, claro. Já foi possível engordar ratos magros apenas transferindo bactérias de ratos gordos. Mesma exata alimentação, apenas mudança na microbiota = rato engorda.

Ok, e o que faço para recuperar meus bichinhos? 

O que você pode fazer para recuperar sua microbiota

Cinco dicas simples da Dra. Robynne Chutkan:

1 – Evite antibióticos. Use-os apenas quando for absolutamente necessário: quando você cuidou do seu sistema imunológico, repousou, mudou hábitos, tomou a sopa certa, o chá certo e nada funcionou ao longo dos meses.

2 – Coma muita, muita fibra. Novamente, MUITA fibra. Já falaremos sobre isso.

3 – Corte o álcool gel nas mãos – totalmente. Use sabonetes naturais, glicerinados, com o mínimo de produtos químicos possível (uso sabonete de glicerina com barba timão aqui). Corte produtos de limpeza antibacterianos, especialmente aqueles que contêm triclosano.

4 – Adote um bichinho de estimação. Tenha animais ao seu redor. Deixe que eles brinquem com seus filhos livremente.

5 – Cultive um jardim. Suje suas mãos na terra e plante os alimentos que você come.

Note que a médica aponta só um item relacionado à comida e quatro relacionados a hábitos de vida. Temos incontáveis formas de alimentar nosso corpo, nossa mente e nosso ser – e, claro, nossa microbiota. Os chamados disruptores da microbiota estão em todos os lugares atualmente: alimentos, água, remédios, produtos que usamos na casa e em nós mesmos.

Mais ainda, seus pensamentos podem prejudicar muito os bichinhos, relembra a autora do livro: “o estresse devasta a microbiota”.

Então, não reduza seu universo a apenas uma nutrição. Mas, não pense que sua alimentação não importa. Vejamos o que a Dra. Chutkan aconselha especificamente para nossos pratos.

O que você deve comer para recuperar a microbiota

Primeiro, o que não comer: evite alimentos industrializados, cheios de produtos químicos. Evite rótulos. Repense os adoçantes industrializados também, que afetam a microbiota. Foi um terror trocar para a estévia, mas meu tratamento exigia. Agora, tenho plantado a estévia, algo que até o Rodrigo Polesso indica no site do Emagrecer de Vez.

Agora, o que você deve comer: fibra alimentar indigerível. É a comida preferida das boas bactérias. Coma alimentos ricos em inulina – uma forma de fibra solúvel – presente no alho, alho-poró, cebola, aspargo, alcachofra, lentilha e aveia (não, lentilha e aveia não são cetogênicos).

Alimentos fermentados, como chucrute, kimchi e picles também são excelentes, porque são alimentos para as bactérias. Ainda, o processo de fermentação produz mais bactérias vivas.

Não deixe de ler também o artigo do Dr. Souto sobre amido resistente cru

Souto fortemente indica o consumo deste amido para pessoas na Dieta Cetogênica: “há uma categoria de pessoas para as quais a suplementação [do amido resistente] é fundamental: os diabéticos, os portadores de síndrome metabólica e as pessoas que estão empregando uma dieta cetogênica (menos de 50g de carboidratos por dia) como instrumento terapêutico ou para perda de peso. Nestes casos, consumir alimentos que contenham amido resistente mas que também elevem o açúcar no sangue não é uma alternativa viável ou desejável.”

Bem, vamos começar a plantar e escolher os novos animais. Mãos à obra, amigos.

1
Deixe um comentário

Faça login para comentar
avatar
1000
1 Sequência de comentários
0 Respostas nesta sequência
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário mais bem avaliado
1 Quantos comentaram
eliana Autores recentes
novos antigos mais votados
eliana
Visitante
eliana

AMEI SEU SITE E SEU CANAL. EM 2 DIAS ASSISTI TUDO…. PARABENS PELA FORCA. MORO EM TORONTO NO CANADA E ESTOU INTERESSADA NESSE ESTILO DE VIDA.
PARABENS!