Artigos

Os Quatro Temperamentos na saúde humana: o guia fundamental para conhecer sua mente, seu corpo e suas emoções

4 temperAMENTOS saude mental corpo doencas teste medicina melancolico colerico sanguineo fleumatico

A Teoria dos Humores é um dos mais antigos sistemas médicos da humanidade. Também chamada de Medicina Humoral, Teoria dos Temperamentos ou Humorismo, o sistema tem sua origem em Hipócrates (460-377 AC), sendo amplamente disseminado pelo pai da Medicina Moderna, Galeno (129-216 DC).

A inclinação da mente segue a temperatura do corpo. – Galeno

A ideia básica dos Temperamentos é a saúde como Harmonia. Saúde é o equilíbrio das 4 forças que regem o ser humano: os 4 fluídos.

  • Bile negra (fria e seca)
  • Bile amarela (quente e seca)
  • Sangue (quente e úmido)
  • Fleuma (fria e úmida)

Dadas estas combinações, os médicos podiam observar como as desordens se manifestavam de acordo com as estações do ano, a nutrição, o local onde a pessoa mora, dentre outros elementos.

Os 4 fluídos se manifestam de forma física e comportamental, gerando 4 temperamentos distintos:

  • Melancólico (bile negra)
  • Colérico (bile amarela)
  • Sanguíneo (sangue)
  • Fleumático (fleuma)

A ideia básica da Medicina Antiga era jogar com estilo de vida, nutrição, clima, ambiente, profissão e remédios para equilibrar os fluidos internos.

A Teoria dos Humores persistiu até o século 19, quando este complexo passou a ser substituído pela visão das causas específicas. Quando os germes da tuberculose, cólera e febre amarela foram identificados, o olhar começou a ser direcionado ao germe e o contexto por trás do patógeno ou da causa específica (o humano) acabou ficando de lado.

“Infelizmente, este pensamento, especialmente quando falamos de transtornos mentais, nem sempre é efetivo, porque nenhuma doença existe no vácuo”, argumenta o psiquiatra e historiador da psiquiatria Matthew Smith. E a pergunta básica, por que este corpo manifesta tal desordem enquanto seus irmãos, vizinhos e colegas não a manifestam, acabou ficando para a genética.

Contudo, a explosão de doenças crônicas e psiquiátricas, cujas causas são complexas, dá luz a um retorno da Medicina Humoral e qualquer análise sobre a recepção do público contemporâneo sobre esta volta nos faz celebrar esta fascinação como um reencontro do humano com seu lar.

Você encontrará muito conteúdo sobre os Temperamentos a partir da ótica psicológica na internet e posso abordar isso em um futuro por aqui.

Hoje, a pedidos dos seguidores do Revolução Keto nas mídias sociais, vou tocar na questão a partir de outro viés: como a Desordem dos Humores, a Desarmonia, se manifesta no ser humano como um todo.

Este tipo de sistema complexo também é visto nas Medicinas Unani, Iraniana-Islâmica, Ayurvédica ou Chinesa, com forças e nomes diferentes, mas cujos desequilíbrios remetem sim a desordens similares.

  • Você, que vem da Medicina Indiana (Ayurveda), sinta-se à vontade para fazer pontes. Leia o melancólico como Vata, o fleumático como Kapha, o colérico como Pitta e o sanguíneo como outro dhatu, o quarto dosha, como vemos no Sushruta Samhita.
  • Você, que vem da Medicina Iraniana ou Medicina Persa, faça pontes entre os Humores (Akhlat) também. Sanguíneo como Damawiy, Colérico como Safrawiy, Melancólico como Saudawiy e Fleumático como Balghamiy.

Qual é o meu Temperamento?

Se você não tem ideia de qual Temperamento mais se manifesta em você atualmente, certamente se reconhecerá a partir das características listadas abaixo.

Para Hipócrates, a saúde ideal é encontrar o equilíbrio entre todos os fluidos: fleuma, sangue, bile amarela e negra. Ou seja, você lerá as características dos Temperamentos e tentará criar condições que minimizem as forças que estão em excesso, potencializando aquelas que lhe faltam. O ideal é criar uma vida que permita a literal fluidez entre todos os Temperamentos.

Na Medicina Tradicional Indiana, porém, temos outra concepção: você nasce com uma constituição e a vida possivelmente lhe afastará disso através de escolhas, traumas, ambiente familiar. Isso gera doença. O afastamento de si mesmo, do ambiente propício à sua constituição original.

Sua constituição original se chama Prakruti e aquela que hoje você manifesta se chama Vikruti (significa “depois da criação”). Atuaríamos sempre sobre Vikruti com um único e belo objetivo: tornar Vikruti e Prakruti iguais.

Aqui, saúde não é exatamente um equilíbrio universal das forças, mas sim um reencontro com nossas forças originais individuais.

Em ambos os casos, o foco é atuar sobre o máximo de elementos possível para que os desequilíbrios parem de se manifestar. Nutrição, cotidiano, padrões de pensamento, metas, tempo, local, clima, profissão, relações, sono. Absolutamente tudo afeta os temperamentos.

E você? Pronto para começar a jornada da Harmonia?

Lembre-se que não somos matemáticos e os Temperamentos convivem em nós o tempo inteiro. Você se reconhecerá em todos os Temperamentos de alguma forma. Contudo, um ou dois Temperamentos se sobressairão. Fique atento aos excessos, mas também às faltas. Caso algum Temperamento lhe pareça totalmente estranho pode ser hora de começar a dar vida a ele.

Abaixo, você verá elementos para cada Temperamento. Sugiro que marque quantos Colérico (C), Sanguíneo (S), Melancólico (M) e Fleumático (F) com os quais você se identificou para traçar uma possível tendência.

Por exemplo, no item “pele”, você se identificou com sanguíneo e fleumático, marque F e S em um papel. Ao final de toda a leitura, veja quantas vezes as letras se repetiram.

Os Quatro Temperamentos: a base da Medicina Grega

os quatro temperamentos teste medicina antiga grega doencas tratamentos melancolico colerico

Os quatro temperamentos são a base dos tipos corpo-mente da Medicina Grega. Cada tipo é nominado a partir de um Humor e está associado a qualidades fundamentais.

Conheça o seu Temperamento e saberá como se alimentar, como e onde viver, no que trabalhar e até se medicar para prevenir ou tratar doenças. Se suas qualidades básicas forem frio e secura, estações e locais frios e secos agravarão suas condições. Se você é marcado pela instabilidade, uma profissão mais ligada à natureza e menos às telas pode ser definidora na sua jornada.

Temperamento Colérico: características

Idealistas e eficientes, os coléricos são amantes da pontualidade, da objetividade e da alta performance. O pesadelo deste humor seco é a mudança de planos que interfere nos resultados programados. Altamente catabólico e ativo, precisa se cuidar para não colocar fogo em si mesmo, pois tende a maximizar seus padrões e possui grande dificuldade de ir devagar. Por ser muito objetivo, pode ficar cego com suas metas e crenças, potencializando os desequilíbrios ainda mais.

Humor: Bile Amarela
Qualidades Básicas: Quente e Seco
Face: maxilar amplo. Nariz definido. Lábios finos. Bochechas altas e pontudas. Face angular. Face avermelhada é comum. Olhos agudos, brilhantes, penetrantes.
Físico: compacto, magro, forte. Dedos finos. Bom tônus muscular, definido. Veias e tendões proeminentes. Peito amplo. Gosta de esportes e atividades físicas. Ganho de peso geralmente se acumula no peito, braços, barriga.
Cabelo: Frequentemente crespo, fino, louro ou ruivo. Calvície comum.
Pele: Avermelhada, especialmente no calor. Amarelado quando a bile amarela está excessiva. Pele quente, seca e áspera.
Apetite: Rápido e pontual. Pode ser tomado por fome intensa e ficar irritado ao passar períodos mais longos sem comer. Fã de carnes, gordura, temperos e pimentas, além de álcool: tudo que potencialize sensações.
Digestão: rápida. Tendência à gastrite, acidez, refluxo. Boca seca. Quando equilibrado e saudável, é conhecido pelo estômago de ferro e digere tudo que comer com facilidade.
Metabolismo: forte, rápido, ativo, catabólico. Pode ter problemas de fígado e bile. Também, problemas nas adrenais e sistema nervoso simpático. Tempo entre alimentação e excreção é curto. Pode ter sérias reações inflamatórias: tudo que potencialize o fogo é perigoso. Como o metabolismo é muito acelerado, pode ter problemas de absorção de nutrientes.
Doenças (predisposição): febre, infecções, inflamações. Urticária, alergias. Gordura no fígado, problemas de bile. Acidez e refluxo, úlceras estomacais. Dores de cabeça, enxaquecas, irritação extrema. Olhos vermelhos. Condições purulentas. Alto colesterol e condições cardíacas. Gengivite. Sangramentos, especialmente quando colocado sob intensa pressão ou calor. Hipertensão. Estresse crônico.
Urina: escassa, escura. Pode ser quente ou até arder ao sair.
Fezes: tendência à diarreia ou fezes moles, amareladas, fedorentas. Podem sofrer de constipação em locais ou estações muito secas, devido à natureza seca do temperamento.
Suor: excessivo, especialmente no verão ou com atividade física vigorosa. Cheiro forte. Sofre muito no calor.
Sono: inquieto, agitado, perturbado, especialmente em tempos de estresse ou quando há problemas digestivos. Desperta cedo, no meio da noite. Precisa de menos horas de sono, o que pode agravar a ansiedade típica do temperamento.
Sonhos: violentos, bélicos. Sonha com luta e fuga, confrontos, com fogo e coisas vermelhas.
Mente: corajoso, destemido, ousado. Original, criativo, visionário. Grande capacidade de traçar ideais. Intelecto brilhante e insights afiados. Nota mudança em pequenos detalhes: enxerga tudo o que acontece o tempo todo. Como o raciocínio é muito rápido, pode ter problemas de foco e não terminar as infinitas tarefas que assumiu ao mesmo tempo.
Personalidade: raivoso, irritável, impaciente, explosivo. Sempre em confronto. Dramático, bombástico, exagerado. Personalidade forte. O clássico individualista que se orgulha da sua suposta autonomia. É o líder destemido, que busca experiências intensas. Automotivado ao extremo, é o chamado “Personalidade Tipo A”. Tendência ao extremismo e ao fanatismo, fica cego com suas ambições.

Temperamento Melancólico: características

O temperamento Melancólico é o mais problemático em termos de saúde, já que ele é o oposto do Sanguíneo, aquele com saúde mais forte.

O melancólico é introspectivo, tem tendência à depressão e, claro, dificuldade de permitir mudanças (ambos andam juntos). Sofrem terrivelmente com alimentos gelados e clima frio. Precisam muito de ambientes iluminados e leves. Sua tendência a deficiências nutricionais exige cautela extrema e sua natureza instável exige mudanças gradativas.

Humor: Bile Negra
Qualidades Básicas: frio e seco
Face: quadrada ou retangular. Bochechas ossudas e proeminentes, com depressões abaixo dos ossos superiores. Olhos pequenos e brilhantes. Dentes grandes, tortos e fracos. Lábios finos.
Físico: magro, esguio. Ossos e juntas saltadas. Veias e tendões proeminentes. Bom tônus muscular, mas tende a se sentir duro, rígido e tenso. Caixa torácica longa e estreita: costelas frequentemente saltadas. Pode ganhar peso ao longo da maturidade, geralmente na área do diafragma.
Cabelo: preto ou castanho. Grosso e liso. Homens melancólicos possuem poucos pelos no rosto e corpo.
Pele: amarelado pálido ou moreno. Pele áspera, fria, seca como um couro. Calos são comuns.
Apetite: variável, mas tende a ter pouco apetite. O apetite flutua diretamente de acordo com o estado emocional, nervoso e mental.
Digestão: variável, mas tende a ser irregular e ruim. Também varia de acordo com o estado emocional. Pode ter cólicas, gases, barriga inchada, distensão abdominal.
Metabolismo: frequentemente lento, mas principalmente errático e variável. Tem tendência à desidratação. O sistema nervoso do melancólico exige uma densidade nutricional superiora à dos outros temperamentos: precisa ser muito bem nutrido para não sofrer as consequências. Deficiências nutricionais são muito comuns e geram compulsão por doces e amido. Geralmente, possui problemas de tireoide.
Doenças (predisposição): anorexia, apetite ruim. Problemas digestivos. Constipação. Doenças no baço. Anemia e outras deficiências nutricionais. Problemas de regulação de glicose. Hipoglicemia. Desidratação. Tendência à inanição. Problemas vasculares e doenças no sistema imunológico, autoimunes. Artrite, reumatismo, desordens neurológicas e musculares. Espasmos e desequilíbrios do sistema nervoso. Tontura, vertigem, zumbido no ouvido (tinitus), Síndrome de Ménière. Nervosismo. Depressão. Ansiedade. Mudança constante do humor.
Urina: limpa e sem coloração.
Fezes: seca, dura, compacta; mas, pode ser irregular, porosa, flutuante. Tendência à constipação e síndrome do intestino irritável.
Suor: pouco, sutil, o que indica imunidade ruim. Estresse nervoso pode elevar o suor.
Sono: dificuldade em dormir, insônia. Estresse, trabalho excessivo ou produção após o pôr-do-sol agravam a insônia e as deficiências. Acorda por tudo: luzes, sons, sono muito leve.
Sonhos: obscuros, emocionais, perturbadores. Sonha com morte e perda.
Mente: intelecto extremamente analítico, detalhista. Eficiente, realista, pragmático. Reflexivo, estudioso e filosófico. Boa memória. O pensamento tende à rigidez e ao dogmatismo, é estruturador demais. Geralmente, prudente, cauteloso e pessimista.
Personalidade: prático, pragmático, realista. Eficiente, confiável, dependente. É um estoico por natureza, com profundidade. Pode ser nervoso e tenso. Evita desperdícios, é econômico e austero. Pode se tornar muito apegado a bens materiais. É sério e não gosta de correr riscos. Pode ser depressivo, mal-humorado e desistente. Sente-se preso, sem saída, com frequência. Apego excessivo às imagens sociais, o que afeta a instabilidade e as prisões ainda mais.

Observe o cuidado extremo que precisamos ter com Melancólicos em Dieta Cetogênica. Tendência a perda de minerais e vitaminas, anorexia, desidratação. Alta instabilidade e sensibilidade. O processo precisa ser muito gradativo, sem radicalismos quaisquer.

Jejum virá com consequências e monitorar glicose é uma lei para não potencializar desordens nervosas a partir de respostas de estresse. Água e minerais são elevados acima dos outros temperamentos e a ideia da alta cetose devido a cortes abruptos ou excessivos precisa ser descartada. Aqui, a elevação de números se dá muito mais pelo aumento de MCT, óleo de coco e outros métodos de elevação de corpos cetônicos do que pela carência de alimentos.

Grande parte dos meus atendimentos ocorre em sensíveis melancólicos. Todas as pontes entre os distúrbios acima mencionados têm sido trabalhadas no grupo de membros do Revolução Keto: questões vasculares, hipotálamo, sistema nervoso, neurotransmissores como dopamina e serotonina, que afetam as desordens com as quais trabalhamos.

Da Síndrome de Raynaud ao zumbido no ouvido, passando pela fibromialgia, o melancólico carrega um complexo de sensibilidades e manifestações que deve ser cuidadosamente tratado, sem intervenções radicais, que potencializam ainda mais a instabilidade característica do temperamento.

Seja membro do Revolução Keto

Entre para o grupo restrito no Telegram, receba conteúdos exclusivos e participe de lives e debates.

Assista ao excerto de uma das nossas lives exclusivas para membros abaixo, sobre melancólicos e a vida real das desordens tratadas com Dieta Cetogênica pelo Revolução Keto.

Temperamento Fleumático: características

Passivo, frio, anabólico. O Fleumático é o oposto do Colérico e é regido pelos líquidos, as águas. Como é frio e o fogo interno é fraco, pode acabar virando um pântano enlameado, manifestando uma depressão pesada e letárgica. É um Temperamento lento, com tendência a ganhar peso, já que busca poupar energia em tudo que faz. Tem propensão a edemas e cansaço em climas frios.

Precisa evitar excesso de consumo de líquidos, por sua natureza úmida. Tudo que for termogênico é importante para o Fleumático e os alimentos que ele mais adora, aqueles que retardam o metabolismo, devem ser evitados. Leia-se: laticínios, açúcar, amido, alimentos gelados, crus.

Humor: Fleuma
Qualidades Básicas: frio e úmido
Face: redonda, bochechas grandes, pode ter sardas. Traços arredondados, pode ter queixo duplo e nariz pequeno. Olhos úmidos, cílios e sobrancelhas com muitos pelos.
Físico: forte, com boa musculatura. Frequentemente rechonchudo ou obeso. Juntas pequenas, não proeminentes. Ganham peso na parte inferior do corpo (barriga, coxas, bunda). Pés e tornozelos geralmente inchados. Mulheres possuem seios fartos.
Cabelo: castanho claro ou louro.
Pele: cor pálida e sem marcas, perfeita e brilhante. Macia, delicada e hidratada. Mãos e pés sempre úmidos.
Apetite: lento, mas constante. Adora doces, laticínios e amido.
Digestão: lenta, mas constante. Pode ser lenta demais devido à atonia (perda de força do aparelho digestivo). Sente muito sono após as refeições.
Metabolismo: lento. Conserva energia e favorece o anabolismo. Congestão, circulação ruim, especialmente nas veias e linfas. Rins lentos e ineficientes. Hipofunção nas adrenais e na tireoide. Metabolismo basal lento.
Doenças (predisposição): congestão da Fleuma. Retenção de líquidos, edemas. Congestão linfática, obstruções. Problemas circulatórios. Problemas digestivos, hipotireoidismo, obesidade. Resfriados e gripes constantes. Problemas respiratórios crônicos. Celulite.
Urina: pálida e espessa. Pouca urina com excesso de acúmulo de líquidos no corpo.
Fezes: bem formadas, mas com tendência a fezes mais soltas. Intestino lento.
Suor: frio e pegajoso, especialmente nas mãos e pés. Pode suar muito, principalmente quando houver problemas renais. Sensível à temperatura fria, sofre muito no inverno.
Sono: muito profundo e tranquilo. Dorme excessivamente e sente muito sono. Ronco é comum, podendo ser alto.
Sonhos: plácidos e calmos. Temas aquáticos são comuns.
Mente: enevoada, lenta, tediosa. Lento para aprender, mas, uma vez que aprende, retém tudo com ótima qualidade. É paciente, devotado, confiável. Muito empático. Sentimental e subjetivo. Tem boa natureza, calma e benevolente.
Personalidade: é aquele que nutre e reconforta. Sensível, simpático, compassivo e caridoso. Passivo, lento, preguiçoso, tem horror a esforço e exercício físico. Possui muita fé, devoção e tende à espiritualidade. Calmo e relaxado, leva a vida de forma leve. Por ser muito preguiçoso, o torpor pode levar à depressão.

A grande briga aqui em casa é remover os laticínios do fleumático com o qual sou casada. Ou fazê-lo me ajudar na horta. O movimento que falta ao meu marido é oposto ao tamanho da paciência e do amor que tem por nós. Não à toa, fleumáticos são opostos aos coléricos. Agressividade, ambição, objetividade não são palavras fleumáticas e colocá-los em movimento pode ser difícil, mas a devoção que possuem os levará a uma vida virtuosa, mesmo que se movam lentamente. Mexa-se, amigo fleumático. Para aquecer o corpo, acelerar o metabolismo e cumprir sua missão com todo este amor e carinho.

A Dieta Cetogênica é uma beleza aqui, não é mesmo? Adeus à retenção de líquidos, metabolismo veloz e cognição aguda. Como fleumáticos retêm tudo, deficiências são o menor dos nossos problemas. Difícil mesmo é remover os laticínios de um fleumático.

Temperamento Sanguíneo: características

Pessoas sanguíneas são normalmente sociáveis, alegres e se adaptam com facilidade ao meio. O temperamento sanguíneo geralmente é considerado o temperamento mais agradável ou desejável, já que o sangue é a essência da vitalidade e da saúde, mas há ressalvas. Não existe um temperamento ideal: ideal é a harmonia.

Humor: Sangue
Qualidades Básicas: quente e úmido
Face: oval, delicada, com boca e lábios bem definidos. Olhos em formato de amêndoas, geralmente castanhos. Pescoço definido e elegante, como um cisne.
Físico: na juventude, é bem equilibrado, não é gordo ou magro. Estrutura encorpada. Elegante e bem definido, com musculatura forte. Boas articulações, ossos, tendões. Veias proeminentes, podem ser vistas através da pele. Pulso forte e facilmente sentido. Pode ganhar peso após os 40 anos, geralmente na região dos quadris, coxas e bunda.
Cabelo: grosso, ondulado, abundante. Homens sanguíneos possuem muita barba e pelos no corpo.
Pele: rosada, bochechas avermelhadas. A pele é macia e quentinha ao toque.
Apetite: um tanto quanto voraz, geralmente come mais do que consegue digerir. Tem muito prazer com alimentação luxuosa, gourmet.
Digestão: boa a moderada; equilibrada. Pode ter problemas digestivos se abusar da quantidade de comida.
Metabolismo: equilibrado. Pode ter uma propensão a fezes mais soltas. Pode ter problemas digestivos, respiratórios e em mucosas genitais. Em termos gerais, o suor, a urina e as fezes têm cheiro forte.
Possíveis doenças (predisposição): quando desequilibrado, pode sofrer de problemas nos rins, gota, diabetes, alto colesterol. Intestino lento, constipação, problemas de fígado e pâncreas. Sangramentos. Catarro, muco, congestão e asma. Desordens genitais e urinárias. Menstruação excessiva. Problemas de pele, como espinhas e abcessos são comuns. Podem sofrer de sonolência e lentidão na primavera.
Urina: amarelo forte e densa, com cheiro forte.
Suor: moderado, com cheiro forte.
Fezes: bem formadas.
Sono: moderado, profundo, tranquilo. Pode roncar.
Sonhos: agradáveis, divertidos, de natureza lúdica e romântica: viagens, jogos e lugares mágicos.
Mente: possui uma boa capacidade de julgamento. Um intelecto que gosta de ver a pintura inteira, não apenas as partes. Otimista, sempre positivo, é um tanto quanto convencional e até conformista. Possui ótimas capacidades sociais, sendo um bom líder devido à natureza úmida e adaptativa.
Personalidade: exuberante, entusiasta, expansivo. Confiante, generoso e gracioso. Romântico, ama a Beleza, a Estética, as Artes. É sensual, tolerante e perdoa com facilidade. Tem o coração leve e alegre.

Minha pequena filha sanguínea (três anos) ficou conhecida aqui em casa pelo seu odor forte. Cabelos ondulados e bochechas vermelhas, é nossa Branca de Neve fedorenta. Um apelido terrível, eu sei, mas com amor, porque ela é o ser mais alegre que já conheci. Sua frase-chave é: “não tem problema, mamãe”, com um belo sorriso toda vez que algo dá errado. O pior pesadelo de Aurora é a Primavera, quando a pele delicada sofre de abcessos inexplicáveis e usualmente vomita com muito muco.

É claro, os temperamentos são influenciados por diversos fatores. As estações do ano e as fases da vida nos impactam muito. A criança é, usualmente, sanguínea por natureza.

Temperamentos e fases da vida

  • Infância: somos mais quentes e úmidos, mais sanguíneos e menos melancólicos
  • Juventude: quentes e secos, somos mais coléricos, menos fleumáticos
  • Idade Adulta: frios e secos, somos mais melancólicos e menos sanguíneos
  • Velhice: frios e úmidos, somos mais fleumáticos e menos coléricos

Ainda, as estações do ano extraem nosso melhor e nosso pior, potencializando ou equilibrando os Temperamentos.

Temperamentos e estações do ano

  • Primavera: quente e úmida, mais sanguínea, menos melancólica
  • Verão: quente e seco, mais colérico, menos fleumático
  • Outono: frio e seco, mais melancólico, menos sanguíneo
  • Inverno: frio e úmido, mais fleumático, menos colérico

Ou seja, novamente, ninguém está condenado a um temperamento, porque a única rigidez que existe é nosso apego com as estruturas e padrões que nos afetam.

Em um mundo de culto à autonomia, compreender a interdependência e a influência do meio em nós é um ato de uma virtude esquecida, a humildade. A partir desta virtude, surge a posição do eterno aluno, o único capaz de verdadeiramente experimentar a vida e compor um universo adequado para si mesmo ao longo do tempo.

Coragem colérica para mudar absolutamente tudo na vida se necessário for.
Alegria sanguínea para cruzar estas mudanças com o coração aberto.
Sabedoria melancólica para extrair as lições fundamentais sobre as experiências.
Lealdade fleumática, porque viver em um mundo em que apenas nós ensinamos é de uma solidão simplesmente triste.

Um grande abraço da Juliana Szabluk

Fontes e referências sobre Medicina Antiga

Dr. Seyed Mahdi Mirghazanfari, Ph.D em Fisiologia Médica, pesquisador da Medicina Tradicional Iraniana-Islâmica

Dr. David Osborn, Mestre em Humanidades, Mestre em Acupuntura

Dr. Michael Tierra, Doutor em Medicina Oriental, Mestre em Acupuntura

Dr. Hagop S. Akiskal, psiquiatra e professor pesquisador dos Temperamentos nos Transtornos Afetivos

Dr. Matthew Smith, Ph.D, historiador da Psiquiatria

“The Figures of Melancholy and Mania” (Livros dos Psiquiatras e pesquisadores Mario Di Fiorino e Mirko Martinucci, publicado pela Bridging Eastern and Western Psychiatry, 2007). Um profundo mergulho na melancolia, que abrangerá inclusive a astrologia médica. Livro disponível neste link.

Medicine Throughout Antiquity, Benjamin Lee Gordon pp. 522 – 523

Textbook of Ayurveda: A Complete Guide to Clinical Assessment, Vasant Lad pp. 63 – 70

Epilepsy: a way from Herodotus to Hippocrates (Epilepsy and Behaviour, 2013)

Greek Medicine from Hippocrates to Galen: selected papers (por Jacques Jouanna: livro na íntegra no JStor)

Aristóteles, “De Animalibus”, Livro 12 disponível neste link

The Writings of Hippocrates and Galen, textos originais com tradução de John Redman Coxe disponíveis neste link

Teoria dos Humores na U.S National Library of Medicine

The Renaissance of the Ancient Concept of Temperament (with a Focus on Affective Temperaments). Hagop S. Akiskal

Outros livros sobre o tema disponíveis na Biblioteca dos membros do Revolução Keto
Bipolar Disorders: 100 Years After Manic-Depressive Insanity, por Andreas Marneros, Jules Angst
Touched With Fire: Manic-Depressive Illness and the Artistic Temperament, por Kay Redfield Jamison
Affective and Schizoaffective Disorders: Similarities and Differences – Andreas Marneros, Ming T
Preventing Mental Illness: Past, Present and Future (parte da coletânea Mental Health in Historical Perspective, 2018). Reunião de ensaios por Vicky Long, Despo Kritsotaki, Matthew Smith.

Receba notificações por email
Notificações de
guest
1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Gabrielle
Gabrielle
19 dias atrás

Texto excelente! Obrigada! 👏🏻👏🏻