Artigos

Minha história de vida: uma lição que talvez você precise conhecer

Minha história de vida: uma lição que talvez você precise conhecer 1

Estava reescrevendo a seção “Sobre” aqui do site e uma forte emoção me tomou. Não queria fazer um texto técnico, com pilhas de cursos ou títulos. Só queria falar sobre Juliana. Muitas pessoas me pedem vídeos em que relato minha história. A verdade é que eu não tenho a menor condição emocional ou intelectual de resumir meus 400 anos de vida em um vídeo. Possivelmente, teríamos 5h de Juliana chorando emocionada em frente à câmera.

Apoie o Revolução Keto

Faça sua doação para expandir
a Dieta Cetogênica no Brasil.

Um dia, conseguirei. Por enquanto, te ofereço este relato, que pode te dar uma visão de vida muito atípica – talvez, oposta – ao que você vê como exemplo na sociedade atual.  Talvez, isso te dê coragem de ser quem é pela primeira vez. É só o que me importa.

Vamos lá. 

Tenho um histórico pessoal de cruzamento de muitos, muitos vícios letais. Se você já assistiu a documentários sobre anorexia e bulimia, com aquelas mulheres 30kg abaixo do peso, literalmente morrendo por não comer, você me viu ali. Mas, este foi apenas o fim da história.

Comecei minha trajetória rumo à obesidade ao perder meu pai, que era meu melhor amigo, bem cedo na infância. Minha mãe tem os diagnósticos de bipolaridade e depressão, o que é óbvio, já que são patologias com forte ligação genética e eu tenho estes diagnósticos também (some déficit de atenção a isso).

Cruzei uma infância totalmente solitária, sem a presença de adultos quaisquer, me alimentando apenas de junk food. Cheguei aos 123kg aos 17 anos, quando uma depressão gravíssima me pegou. Como resposta à perda completa de sentido, veio o ano inicial de anorexia, que foi o suficiente para a degeneração completa.

Por mais de um ano, sair do quarto era uma tarefa impensável. Comer muito menos. 80kg a menos e diversos meses depois, começamos a somar os remédios e a bulimia:

Pense em seis episódios de vômito, 60 comprimidos de laxantes, 20 diuréticos, 20 anfetaminas, 20 ritalinas, efedrina e xenical para passar um dia. Pense em não conseguir mais segurar fezes e urina (sim, fazer nas calças), muito menos alimentos ou líquidos quaisquer dentro do corpo (vomitar 100% de tudo consumido).

Pense na pessoa que não escova mais os dentes por medo do açúcar na pasta ou que não toma água, “porque incha a barriga”. Pense nisso por mais cinco anos consecutivos e lembre que estes anos foram apenas o ápice de mais uma década de destruição com álcool, maconha, analgésicos, anti-inflamatórios e muitos outros remédios etc.

Durante este processo, sair do quarto era uma piada: estar vivo se tornou a tarefa impensável.

Coloquemos algumas tentativas de suicídio na equação. Algumas passagens pela UTI e dois anos de internações psiquiátricas em hospitais, que foram “leves demais”. Cheguei às fazendas para adicções graves. Sim, cheguei às temíveis fazendas.

Quatro meses em uma fazenda foram o necessário para eu definir: ou eu morro de uma vez ou eu recomeço.

Se você pensa que eu larguei tudo e fui me tornar uma atleta, em uma daquelas histórias de superação dignas de Fantástico, repense. 

Eu trilhei um caminho muito, muito atípico: “eu não preciso superar nada, eu só preciso viver sendo o que eu sou”.

Aqui, começa a história de uma anoréxica, bulímica, adicta que resolve viver independentemente do que dizem sobre ela. Do psiquiatra da época, chefe de psiquiatria do melhor hospital aqui do sul, ficou a frase “se você largar o tratamento, não terá dois anos de vida” (justo e prudente, porque não havia mais potássio no meu corpo e o coração estava se entregando).

Foram muitos desmaios na faculdade por falta de comida, fraqueza e pressão baixa, foram muitos dentes perdidos, foram muitos episódios de vômito em banheiros públicos nojentos e foram muitas lágrimas frente ao espelho. Mas, eu não conseguia mais aceitar que eu não merecia viver por não ser perfeita.

A lição do mundo atual é a seguinte: seja perfeito primeiro para viver depois.

A minha meta era a oposta: vai lá e vive, independentemente do que você tiver ou for.

Ironicamente, conforme o tempo passava, eu vencia. Não vencia os vícios, vencia a ideia de que uma mulher cheia de vícios e traumas não merecia amor.

Ironicamente, era exatamente isso que me faltava. E foi aqui que eu comecei a me curar.

O caminho é longo e possivelmente eu morrerei antes da perfeição. Possivelmente, minha história não estará no Fantástico.

Mas, mesmo assim, eu tenho algumas coisas a ensinar ao mundo. Ao menos, a quem não se enquadra no padrão ensinado atualmente, de que, se você não tiver o corpo perfeito e a saúde intacta, não merece sequer postar sua foto no Instagram.

Eu digo que você não apenas merece, mas como precisa. A jovem Juliana precisava ter ouvido sua história. Precisava ter te conhecido, com todos estes defeitos que te levam a crer que você é menor. Ela precisava de seres humanos reais, com falhas terríveis e imenso amor verdadeiro por si mesmos: isso é o amor incondicional. Entende? Ela era tão desprovida de amor, que apenas o amor verdadeiramente incondicional a salvaria.

E não é isso que todos buscamos em nossas vidas? Sermos incondicionalmente amados? Então, por que seu amor próprio está condicionado à sua performance? E por que você está reforçando a condicionalidade nas pessoas?

É uma longa jornada de anti-herói esta que vivi. De tempos em tempos, lembro da frase do meu grande psiquiatra: “você não durará dois anos”. Então, olho para a foto que ilustra este post e tenho um momento de lucidez e justiça com minha vida: não era para eu estar aqui, quem dirá ter alcançado tanto. Duas filhas, uma casa alugada, uma horta, um casamento. Mesmo que pareçam conquistas medíocres aos olhos do mundo, são reais milagres nesta história.

Quase 20 anos se passaram e todas as estatísticas (bipolaridade, suicídio, drogas, problemas cardíacos, anorexia etc) me declaram como morta há mais de uma década. Mas, cá estou. Imperfeita, caminhando.

Por quanto tempo eu não sei, mas nunca se tratou de quantidade e sim de qualidade: ter a chance de viver um único dia como um milagre é algo extraordinário, belo e para poucos.

Minha trajetória é nada mais do que um convite para que pessoas como eu tenham a coragem de serem que são, para que tenham a coragem de existir sendo tão imperfeitas: e, assim, salvem a jovem Juliana – que é só um nome em meio a tantas vidas que precisam saber que existimos.

Para mim, isso é poder e liberdade: amar a vida e a si mesmo independentemente do que acontecer.

23
Deixe um comentário

Faça login para comentar
avatar
1000
16 Sequência de comentários
7 Respostas nesta sequência
30 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário mais bem avaliado
16 Quantos comentaram
Silvia Mariatania gobbiMônica Ecles MarafonNeiva PradoDelma Autores recentes
  Receba notificações por email  
novos antigos mais votados
Notificações de
Ivani Alves da Silva
Visitante
Ivani Alves da Silva

Salve salve Juliana. Vc é um doce e sua história acalenta meu coração. Não vivenciei sequer um décimo de suas experiências. As minhas foram outras mas …o que quero dizer é que sempre bom saber de histórias de superação. De pessoas que não temem contar tampouco saber o que pensam os outros. Pra mim está é a verdadeira Vitória, aceitação e reconhecimento das imperfeições e tentar angariar mais recursos psicológicos e emocionais para viver melhor consigo mesmo.
Vida longa a você e muitas bençãos por tudo que contribuí para ajudar o próximo.

Adilia Barbosa
Membro
Adilia Barbosa

Suas conquistas são uma inspiração, uma pessoa que mostra que em meio ao caos podemos nos encontrar e reerguer assim que conseguimos aceitar os “monstros” que estão dentro de nós e aprender que nem sempre eles são vilões. quando aprendemos a amar os nossos Monstros aos poucos nos curamos. Você aprendeu a lidar com os seus e além disso ensina muitas pessoas a lidarem e aceitarem os seus. Parabéns eu queria ter te conhecido antes. Alguns dos meus traumas me trouxeram até aqui e hoje vejo que entre ganhos e perdas o placar positivo é maior. Seguiremos guerreiras, hora vencendo, hora perdendo mas nunca desistindo da batalha.

Claudia Soares
Membro
Claudia Soares

Conquistas medíocres, jamais, você além de ter superado tudo e conquistado o que afinal de contas realmente importa. Você ainda tem um dom tão maravilhoso de mostrar a centenas de pessoas o quanto somos capazes cada um com sua particularidade, é por isso que tu tá aqui, você faz a diferença e uma força muito maior já sabia disso.
Obrigada por dedicar um pouco de seu tempo e nos ajudar nesse momento tão caótico. Fico feliz da vida quando vejo notificação…que Deus abençoe você e sua família 😍😘

Luana
Visitante
Luana

Juliana, bahh, quero ler um livro contando a sua estória, tomara que um dia você queira e possa escrevê-lo, vou amar lê-lo! Trabalho num grupo de auto ajuda para dependentes químicos no HEPA e são necessários relatos de libertação como o seu.

Letícia Gendé
Visitante
Letícia Gendé

Meu Deus, que texto lindo, história linda. Você é uma vc pessoa tão verdadeira e sabia. Me sinto honrada em ter cruzado teu caminho.

Letícia Gendé
Visitante
Letícia Gendé

Te admiro muito pela tua bondade e doçura mesmo tendo sido arranhada por tantos espinhos. Obrigado por ajudar tanta gente gratuitamente pois teus vídeos ajudam muito muita gente. Obrigada por todo tempo que dedicou gravando, editando e escrevendo de graça e postando No YouTube pra ajudar ao próximo. Eu acredito muito na lei do universo e tenho certeza que tudo isso vira mais do que em dobro de volta pra vc. abraco sincero e muito apertado de alguém que também já viveu várias vidas em uma só. você é foda. nos somos como as baratas que foram os únicos sobreviventes a bomba atômica e mesmo esmagadas E faltando umas patas seguimos em frente e vamos embora.

CAROLINA SOUSA FREITAS
Visitante
CAROLINA SOUSA FREITAS

Lindo depoimento. Humano, franco, empático. Também sou uma pessoa imperfeitíssima, cheia de vícios e problemas que passou a viver melhor quando deixou de se impor limitações de fazer ou não fazer alguma coisa quando emagrecesse. Trabalho forte contra a gordofobia que tenho e a sensação de que quem é gordo não merece ser feliz e cada vez que piso fora da curva pratico autopunições e sou de uma crueldade terrível comigo…

Claudia Maria Corrêa
Visitante
Claudia Maria Corrêa

Lindo texto! A vida e seus “descaminhos “ permitiram a possibilidade de você compartilhar conosco toda a sua plenitude. Muito obrigada Juliana 🙏🏻

Gisele Mello
Visitante
Gisele Mello

Ju,
“Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Conhecer as manhas e as manhãs
O sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir”
Obrigada por compartilhar conosco um tãotão de sua história e fazer relembrar a cada um de nós que carregamos o dom de ser capaz e de ser feliz, independentemente de nossas imperfeições. Em tempos de quarentena, um texto como este nos ajuda a nos perguntar pelo sentido da vida. Da minha, da tua, do nós.
Forte abraço!

Fernanda Suguino
Membro
Fernanda Suguino

Querida Ju,
sua história é emocionante. Admiro demais essa sua coragem de se mostrar nua, sem máscaras, sem disfarces. Sinto uma empatia imensa por você e acredito que essa autenticidade e esse acolhimento genuíno e sem julgamento faz com que eu e muitas outras pessoas sintam tamanha proximidade, sem sequer nos conhecer. Seria tão bom ter mais exemplos como você nesse mundo…
Sua história, seus textos, seus vídeos ensinam mais do que conhecimento e ciência, ensinam sobre o lado humano de ser humano, essa dualidade paradoxal que é o nosso interior. São conteúdos maravilhosos e sentimos como tudo acontece na vida real, com todas as suas dificuldades, tropeços e limitações.
Você tem uma alma transparente, suas sombras são luzes para muitos de nós!
Muito carinho por ti, força e admiração! Te sigo eternamente!
Beijos

MARA REJANE ASSUNCAO
Visitante
MARA REJANE ASSUNCAO

Parabéns Juliana por ter a coragem de se abrir assim, ajuda muito sempre. Deixo aqui minha admiração e todo meu respeito. Bjs

Delma
Visitante
Delma

Nossa!!! Muito impactante teu depoimento… nem imagino o q tu passaste neste sombrio e escuro tempo. Sempre digo q o q move o mundo sempre foi e sempre será o AMOR próprio, depois o pelos outros.. Também tenho meus demônios , já tenho meus 60anos mas ainda pretendo ser eu mesmo, acho q ainda dá tempo…só tenho que começar. Acredito muito na magia do AMOR em Deus, da fé e confiança nas forças divinas. Grande abraço e obrigada pela coragem de se despir perante a vida!!

Me chamo Delma, sou gaúcha, tenho 2 filhos e atualmente moro Sozinha na praia , filhos alçaram voos.

Neiva Prado
Visitante
Neiva Prado

Admiração…não sei escrever bonito,as sua vida é preciosa nos olhos de Deus Jeová e você é um exemplo admirável de superação e é uma pessoa de verdade, sua história é de verdade e ganhou uma amiga e “cliente” e acredite depois de ler a sua superação …sua verdade …me ganhou e ganhou minha confiança. Dia 1 comecei a Dieta Cetogenica pois vi um vídeo seu ,álias vários vídeos.Mas hoje lendo tenho certeza que continuarei.E logo te procurarei.Um beijo em seu coração e continue firme e forte.Jeová Deus sempre estará contigo.

Mônica Ecles Marafon
Visitante
Mônica Ecles Marafon

Meu Deus… percebeu como vc ainda tinha muito a fazer pelo bem de outras pessoas! E por isso Deus nunca permitiu que nenhum mal pior acontece a vc.
Quero falar por mim…seus vídeos, estão me ajudando demais! Comecei a dieta Cetogenica dia 24/4 e estou amando, já eliminei alguns quilos…Meu humor melhorou demais estou menos irritada mesmo sem açúcar!!!
Quero te agradecer pela ajuda!!! Obrigada 😘

tania gobbi
Visitante
tania gobbi

Que trajetoria de vida …vivi muito tempo nas sombras e vc sabe muito bem disso nada tao libertador como andar em direçao ao sol a vida me presenteou no Natal com a sua presença e isso acalentou muito meu coraçao as poucas vezes que nos vemos para mim é uma grande felicidade.
Te sou imensamente grata por fazer parte da minha vida mesmo com essa distancia infinita que nos separa… te desejo tudo de bom para vc seu marido suas filhas seu irmao e a sua mae..Tempo de se reconstruir ….gratidao Ju

Silvia Maria
Membro
Silvia Maria

Que lindo, Ju!
Já acompanho seus vídeos há alguns meses (meu marido e eu fomos apresentados à cetogênica por uma nutricionista no final de 2018), mas somente hoje que li seu relato de vida.
Já a admirava muito… O primeiro vídeo seu que assisti me chamou a atenção justamente por esse alívio de não precisar ficar me cobrando pelas expectativas/opiniões alheias (como isso ainda me atrapalha!!!)… Mas o texto de hoje… Esse aqui… Uaaaaau… Fiquei até sem palavras!
Como é Maravilhoso se deparar com um milagre em pessoa em pleno século XXI!!! Aliás, não é um milagre… É um Combo… Vários milagres em um relato!!!
É um privilégio conhecê-la e eu agradeço a Deus por essa rica oportunidade!
Como disse, pode até não ter aparecido naquele programa daquela emissora… Mas, com certeza, nosso Fantástico Criador tem se alegrado com as vidas que têm encontrado conforto e esperança em suas palavras, Preciosas orientações e testemunho de vida!
Você é uma Jóia Rara!
Gratidão!!! 🥰💐🥳🎉