Artigos

Glicose alta pela manhã? Entenda o fenômeno e saiba o que fazer

Glicose alta pela manhã? Entenda o fenômeno e saiba o que fazer 1

Glicose elevada pela manhã é uma questão que intriga meus clientes diabéticos. Contudo, se você pensa que o chamado fenômeno do alvorecer é exclusivo de diabéticos, é hora de começar a medir seus níveis de glicose com mais frequência. Síndrome metabólica e diabetes deixam o organismo muito mais suscetível ao fenômeno sim, mas a paixão pela adrenalina, o estresse e o mau sono têm um papel fundamental na questão – e por isso são inimigos da Dieta Cetogênica.

No texto de Brent Creighton, PhD, para a Virta Health, clínica de reversão de diabetes de Stephen Phinney e Jeff Volek, vamos entender se a glicose elevada pela manhã é um problema de fato e o que pode ser feito para amenizar a situação.

Antes de começar a leitura, vale a informação básica: o que são níveis normais de glicose pela manhã?

  • Normal: menor do que 100 mg/dL
  • Pré-diabetes: entre 100 e 125 mg/dL
  • Diabetes: acima de 126 mg/dL

Estes valores devem ser confirmados em mais de um teste, claro.

Seja membro do Revolução Keto
Entre para o grupo restrito no Telegram, receba conteúdos exclusivos e participe de lives e debates.

O que é o fenômeno do alvorecer?

Também chamado de efeito do alvorecer, o fenômeno é a recorrência da glicose elevada no sangue (açúcar no sangue) por volta do horário do despertar, entre 4h e 8h da manhã.

Mesmo que as causas exatas ainda sejam relativamente desconhecidas, sabemos que hormônios estão relacionados, incluindo adrenalina, cortisol, glucagon e hormônio do crescimento.

Da minha parte, Juliana Szabluk, relacionada especificamente à Dieta Cetogênica, devo sempre lembrar que os níveis de cortisol são elevados na fase da adaptação à cetose (meses iniciais).

Não tenho como ser mais séria sobre a elevação do estresse no organismo, pois ele pode ser a causa dos problemas pelos quais você está passando neste momento: a glicose elevada sim, mas também insônia, hipomania (estado eufórico geralmente confundido com a energia keto, mas um tanto quanto perigoso), agressividade, falta de fome excessiva (confundida com o prazer de jejuar eternamente e “secar em um mês”), ansiedade, pânico e outras questões que, se não controladas, podem te levar a comportamentos graves e deficiências ainda mais difíceis de controlar ou reverter.

A vida da pessoa precisa ser modulada juntamente com a entrada na cetose. Uma vida estressante, que desrespeita o ciclo circadiano, em uma mente apaixonada pela adrenalina em um corpo cujo cortisol está elevado é a potencialização do quadro que queremos evitar e que terá impacto direto nos níveis de glicose. Passemos de volta a Creighton:

Adrenalina, cortisol, glucagon e hormônio do crescimento seguem o ritmo circadiano, o ciclo diário, e tendem a ser encontrados em concentração mais elevada pela manhã para nos ajudar a enfrentar o dia que está nascendo.

Conheça os hormônios ligados à liberação da glicose no sangue:

  • Adrenalina: conhecido como o hormônio da luta ou fuga, a adrenalina aumenta a circulação do sangue nos músculos e promove a liberação da glicose no sangue.
  • Cortisol: conhecido como o hormônio do estresse, o cortisol também tem um papel na elevação da glicose no sangue.
  • Glucagon: sinaliza ao fígado para que libere glicose no sangue.
  • Hormônio do crescimento: importante para o reparo e regeneração, ele promove a liberação da glicose no sangue.

O que gera a glicose elevada em jejum pela manhã?

Dois processos-chave ocorrem no fígado durante a noite. Eles resultam na liberação da glicose no sangue, contribuindo para a elevação da glicose em jejum pela manhã:

  • Glicogenólise, a quebra e a liberação da glicose armazenada (glicogênio)
  • Gliconeogênese, a criação da glicose a partir de componentes das proteínas (ex: certos aminoácidos) ou gordura (ex: glicerol).

Outro hormônio que tem um papel importante neste processo é a insulina. Quando a glicose sobe, a insulina é liberada e ajuda a mover a glicose para fora do sangue, jogando-a para dentro das células, para que seja usada como energia ou para armazenamento.

Glicose elevada pela manhã ocorre apenas com diabéticos?

Os processos fisiológicos por trás do fenômeno do alvorecer acontecem em todas as pessoas, independentemente do diagnóstico de diabetes. Mas, pessoas saudáveis secretam insulina e são sensíveis à insulina suficientemente para que ela aja em oposição à elevação da glicose pela manhã.

Contudo, alguém com pré-diabetes (síndrome metabólica) ou diabetes tipo 2 sofre de resistência à insulina e pode ou não secretar insulina suficiente, o que faz os níveis de açúcar no sangue subirem.

Isso pode ser agravado nas horas iniciais do dia, porque nosso organismo é ainda mais resistente à insulina pela manhã do que durante o resto do dia (1), causando uma glicemia em jejum elevada por mais tempo.

A progressão da pré-diabetes ou da diabetes tipo 2 possivelmente resultará em um agravamento do fenômeno do alvorecer, já que a função da insulina e a sensibilidade à insulina tendem a prosseguir diminuindo.

Preciso me preocupar com a glicose elevada pela manhã?

O fenômeno do alvorecer não é algo que necessariamente precise ser resolvido. É importante observar uma questão: mesmo que seus níveis de glicose em jejum estejam elevados, você pode ter níveis normais ou até reduzidos durante o dia.

Ainda, não é incomum que pacientes em protocolos de reversão de diabetes através da dieta Cetogênica passem pelo fenômeno do alvorecer e, ao mesmo tempo, vejam sua hemoglobina glicada melhorar.

Como a HbA1c pode melhorar se tenho glicose elevada pela manhã?

A hemoglobina glicada é a medição da sua glicose ao longo de três meses. O valor médio importa mais do que qualquer medida avaliada separadamente. Veja abaixo a curva de alguém que está fazendo a Dieta Cetogênica para reverter a diabetes tipo 2 e que passa pelo fenômeno do alvorecer (2):

glicose alta manhã glicemia jejum elevada diabetes

Aqui, você entenderá minhas diretrizes básicas de café da manhã: tem fome, coma. Mas, jamais carboidratos pela manhã. Sua glicose já está elevada. Portanto, iremos com os macronutrientes que menos “tocam” na sua glicose. A saber, proteínas e, mais ainda, gorduras.

glicose no sangue carboidrato proteina gordura cetogenica diabetes

Como reduzir a glicemia em jejum?

Se você quiser compreender se sua glicemia em jejum é uma consequência do efeito do alvorecer ou da ingestão de carboidratos, tudo que precisa fazer é medir sua glicose várias vezes ao longo do dia.

Você precisa conhecer quais são os seus níveis de glicose pela manhã cotidianamente. Teste com exames médicos ou com seu medidor em casa. Teste os níveis ao longo do dia, antes e depois das refeições e antes de ir dormir para saber como seu corpo responde à alimentação.

Você pode optar pelo medidor de glicose contínuo, algo muito enfatizado na comunidade Cetogênica internacional: o Freestyle Libre.

Uma vez que você já tem o mapa da sua glicose estabelecido, você poderá jogar com as instruções colocadas abaixo. Siga medindo a glicose e observando como os níveis de glicose são impactados pela manhã.

Confira as dicas da Virta Health para reduzir a glicose pela manhã

  • Durma bem: de 6h a 8h de sono todas as noites. Vá para a cama antes da meia-noite para ajudar a reduzir o cortisol e melhorar a habilidade do corpo em tolerar a glicose (3).
  • Reduza o consumo de carboidratos (sempre com supervisão médica) para reduzir a glicose no sangue.
  • Jante mais cedo e evite lanchinhos de noite para reduzir a glicose noturna.
  • Sua última refeição deve conter baixíssima quantidade de carboidratos para evitar elevação na glicose.
  • Faça algo ativo após o jantar, como uma caminhada, para ajudar a manter a glicose baixa.
  • Reduza os carboidratos do café da manhã, já que a glicose está alta e você tem uma resistência à insulina ainda mais grave pela manhã.
  • Não espere muito para comer seu café da manhã. Comer cedo pode ajudar a liberar insulina e reduzir a glicose matinal.

(Via Virta Health)

Leia também | Diet Doctor: Is your fasting blood glucose higher on low carb or keto? Five things to know

  1. Porcellati F, Lucidi P, Bolli GB, Fanelli CG. Thirty Years of Research on the Dawn Phenomenon: Lessons to Optimize Blood Glucose Control in Diabetes. Diabetes Care. 2013;36(12):3860-3862. doi:10.2337/dc13-2088.
  2. Monnier L, Colette C, Dejager S, Owens D. Magnitude of the Dawn Phenomenon and Its Impact on the Overall Glucose Exposure in Type 2 Diabetes: Is this of concern? Diabetes Care. 2013;36(12):4057-62: doi: 10.2337/dc12-2127
  3. Spiegel K, Leprouit R, Van Cauter E. Impact of Sleep Debt on Metabolic and Endocrine Function. Lancet. 1999;354(9188):1435-9: doi: 10.1016/S0140-6736(99)01376-8

 

 

Receba notificações por email
Notificações de
guest
4 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Tarcisio lima
Tarcisio lima
1 mês atrás

otimo artigo muito esclarecedor;ajuda muito a entender o problema

Joao
Joao
1 mês atrás

Realmente de muita ajuda o artigo. Ajuda valiosa,orientação precisa.

Ivan GG
Ivan GG
25 dias atrás

Olá! Muito informativo, obrigado!

Detalhe: acredito que a imagem do impacto dos macronutrientes está com a legenda do eixo Y incorreta. Não deveria ser “glicose” ao invés de “insulina”?

Abs.