Artigos

“Dieta Cetogênica é insustentável”: o que aconteceu após eu sair da Keto

colesterol alto low carb cetogenica dr. souto

Hoje, vou contar para vocês o que aconteceu com meu corpo após parar a Dieta Cetogênica. Você vai ver se Keto é de fato insustentável. Lembre que eu tive que sair por um tempo da Keto por uma combinação com o Dr. Souto. Enquanto eu não ajustasse meu perfil lipídico, pausaríamos a dieta.

Antes de eu falar sobre o que aconteceu comigo, eu vou resumir esta série sobre colesterol alto na Dieta Cetogênica para você, que está preocupado e que me envia mensagens assustado sem motivo.

Em momento algum eu fiz esta série para gerar desespero. Fiz isso porque acredito que desespero é se deparar com algo inesperado e não encontrar informação capaz de te acolher. Isso é desespero. Perder o chão.

Não se desespere antes de ler todo o conteúdo da série no revolucaoketo.com

  1. Colesterol alto na Cetogênica: diagnosticando um problema
  2. Colesterol alto na Cetogênica: o que você pode fazer
  3. Colesterol alto na Cetogênica: recapitulação e caminhos pessoais
  4. Colesterol alto na Cetogênica: BulletProof Coffee

Leia todo o conteúdo anterior. Assista aos vídeos.

Mas, eu vou recapitular o que você vai fazer antes de se preocupar. Vamos entender o que é um painel lipídico descontrolado de fato.

Antes de se preocupar…

Foram muitas pessoas, como eu esperava, que vieram me avisar que tinham percebido um aumento de colesterol na Keto. Isso é o normal. O colesterol ir de 200 para 250 é o normal.

Entenda o que é um painel lipídico enlouquecido.

Falo de um aumento entre 50% a 100% nos marcadores. 

Falo de um colesterol gigantesco somado ao APOB muito alto, APOA muito baixo, HDL muito baixo e triglicerídeos muito altos. Muito mesmo. Falo disso tudo junto, ao mesmo tempo.

Por isso, faça os exames antes de entrar. Você precisa ter base para comparar.

Colesterol alto na Cetogênica (ou Low Carb)? Siga estes passos antes de se preocupar:

  1. Veja se você não emagreceu muito nas últimas semanas
  2. Veja se suas calorias não estão baixas demais
  3. Veja APOB e APOA
  4. Veja marcadores inflamatórios
  5. Faça a Calculadora de Framingham e MESA
  6. Faça o Cálculo Triglicerideos dividido por HDL
  7. Faça o cálculo do Colesterol não-HDL. Pega o colesterol total e subtrai o HDL. Colesterol total – HDL. Se estiver muito acima de 220, temos uma situação. O meu deu mais de 450, certo?
  8. Se tudo der muito ruim, não se desespere. Corte o café com gorduras e/ou o jejum. Teste de novo.
  9. Se tudo prosseguir ruim, converse com seu médico. Estas são as orientações que posso dar.

Saí da Cetogênica. O que aconteceu após uma semana?

colesterol alto low carb cetogenica dr. souto

Se você não é meu seguidor, sua primeira pergunta será… “O quanto você engordou?”. Bem, eu engordei 1kg e meio. Mas, estou na TPM e geralmente engordo três quilos nessa época. Então, não sei dizer.

O que importa é que, em sete dias fora da Keto, eu tive que voltar ao pronto-socorro. Coloquei um antibiótico e um anti-inflamatório na boca, receitado pelo médico.

Fazia quatro meses que eu não precisava ir ao pronto-socorro ou tomar remédios para bactérias, inflamações e dores. O exato tempo em que eu estava na Keto. Aquele dia simplesmente acabou comigo.

Foi a descrição de fracasso.

Sintomas após 7 dias fora da Keto

  • Conjuntivite nos dois olhos
  • Inflamações no rosto
  • Inflamações na virilha e pernas
  • Fibromialgia como a de anos atrás (não conseguiria definir esta dor em palavras. Me visualizem curvada, incapaz de segurar um garfo ou um celular na mão. Incapaz de segurar o peso da cabeça em cima do pescoço)
  • Taquicardia constante. Coração saindo pela boca.
  • Insônia, muito por causa da dor. Não é possível dormir com tanta dor.
  • Estresse e irritação extremos, também por causa da dor. Mas, a falta de paciência voltou com tudo.
  • Fome não alterou, mas eu não tinha problemas com isso há anos, graças a estratégias que utilizo.

Obs.: agora, faz quase três semanas que saí da Dieta. Tudo segue piorando. Não sei dizer se estou pior do que eu era antes de entrar na Keto, nossa memória é muito seletiva. Só sei dizer que é muito parecido.

Transtorno bipolar

Ao sair da Keto, me propus a tomar remédios psiquiátricos para controlar meu humor. Note, minha bipolaridade, se for isso mesmo, é muito tranquila em comparação ao que a desordem pode ser.

Eu não caio (mais) em depressão, eu não tenho fases ou épocas de humor variado. Não tenho picos definíveis. Eu só me irrito e me estresso com facilidade. Eu preciso de tudo programado, planejado, sob controle. Se algo sai fora do programado, eu me altero.

O que interessa é que minha luta não é ser a musa keto, minha luta é ter estabilidade mental e conquistar a saúde que apenas isso me gerará. Minha luta é poder amar e cuidar das minhas filhas. Trabalhar. Estudar. Cuidar do meu jardim. Me exercitar. Dormir.

Estou falando de uma vida que é básica para todos os críticos da dieta. Uma vida que esta dieta me deu, após anos tentando os tratamentos convencionais, sem efeito algum.

Atualmente, já estou no terceiro remédio psiquiátrico. A médica já mudou três vezes em menos de um mês. Eles vão somando medicações e abrindo um rombo na tua conta bancária.

Resultado: nada. Nada em absoluto. Nem cócegas.

Comparado ao que a Keto fez por mim, é simplesmente sofrível. Isso sim é desesperador.

Isso é insustentável: a possibilidade de nunca mais voltar a viver.

Keto insustentável

Vou ser honesta: a primeira coisa que comi para quebrar a cetose foi meia xícara de leite. Um quarto de caneca. Foi lindo… Até o dia seguinte.

No dia seguinte, a vontade foi clara e forte: me dá o café com nata, pelo amor de deus.

Atualmente, minha casa está cheia de leite. Não tenho vontade alguma de tomar e não tomei desde então. Leite não tem sabor. Apenas isso.

Comi um pedaço de abacaxi também. Foi lindo. Mas, não há ferrero rocher que valha o que estou sentindo. Quem dirá uma porcaria de abacaxi. Me dá meu abacate com canela.

Iogurte natural, meu grande amor antes da Keto. Ao colocá-lo na boca, não acreditei no que senti. Iogurte natural não tem gosto. Me dá meu kefir de leite de coco agora.

Enfim. Você entendeu.

Foram vários os dias em que dormi preocupada, porque eu não tinha comido nada fora da Keto. Minha combinação com o Dr. Souto, meu médico, foi não entrar mais em cetose até os novos exames.

Mas, minha casa não tem nada fora da Keto, eu não sei comprar outras coisas e não sinto vontade.

Passei a comprar bananas então. É a única coisa que eu sei que me tira da cetose garantido. Agora, eu coloco uma ou duas bananas na omelete. É isso. Só para não entrar em cetose. O resto é tudo keto.

Meço os corpos cetônicos ocasionalmente para ver se não estou em cetose. Os níveis estão entre 0,2 e 0,4 mmol/L. Mesmos resultados que um adepto da Paleo teria.

Como sabemos, abaixo de 0,5 mmol/L, não é considerado cetose nutricional. Para benefícios cognitivos, o valor é acima de 1,5. Para cetogênica terapêutica, tratamento de doenças neurológicas (creio que é meu caso), acima de 3,0 mmol/L.

Conclusão: sinto falta do meu MCT, da nata, da tranquilidade. Eu sinto falta da vida sem dores intensas e inflamações. É insustentável viver sem farinha? Sem uvas?

Insustentável é sobreviver. É ter o teu direito de viver removido de ti. É tu passar a vida ouvindo que tu é difícil, que tu é impossível, quando impossível é o que a dieta gera no teu cérebro.

Nada mais ignorante do que a identificação entre “eu” e objetos, certo? Você é um peso na balança, você é uma doença, você é qualquer objeto. Isso é a definição de ignorância, ou seja, de sofrimento. Esta é a premissa básica de qualquer filosofia. Vamos estender este raciocínio ao nosso próprio cérebro.

Você não é seu cérebro. Principalmente, porque o cérebro é plástico, elástico, em constante transformação. Agora, imagine o que ocorre quando você abastece seu cérebro pela primeira vez.

Você descobre quem você é.

Insustentável é bater na porta de incontáveis especialistas e ouvir que tudo que você relata é coincidência. Tomar trocentos antibióticos, anti-inflamatórios, remédios psiquiátricos sem efeito sobre você.

Isso é insustentável. Ter 36 anos e não conseguir abraçar um filho pela dor nos músculos, na coluna, na pele. Porque as bactérias que tomam conta de você são contagiosas.

Insustentável é passar dias em hospitais tomando injeções para conseguir trabalhar. Injeções que aliviam as dores poucas horas. É tu ser mãe, trabalhadora, dona de casa, estudante, guerreira com estas dores, cansaço, fraqueza… Porque a vida não pode parar.

E, de repente, uma mudança na dieta te tira tudo isso. Sem efeito colateral nenhum… Apenas o colesterol elevado.

Dia desses, eu respondi para uma pessoa anti-carne:

Se você me mandasse escolher entre infarto e qualidade de vida, eu não saberia o que dizer.

(como se colesterol alto fosse equivalente a um infarto certo)

Hoje, eu sei responder. Eu tiraria 10 anos de vida para não ter mais 50 anos de sobrevida.

Eu viveria muitos anos a menos para ter a chance de viver de verdade por alguns anos.

Mas, eu sei que isso não é necessário. Vou encontrar mudanças na dieta que me permitirão ter um colesterol um pouco mais alto, 350, e manter meus corpos cetônicos na faixa terapêutica, curando meu corpo e minha mente.

Eu sei que encontrarei esse equilíbrio.

Se não encontrar, eu vou começar a fazer exercícios físicos. Pedalar, caminhar, cortar todos os vícios e hábitos que restaram na minha vida.

A Keto me dá esta capacidade de revolução.

Eu vou ser um exemplo de saúde com um maldito colesterol alto.

Mas eu sei que, se eu chegasse a um cardiologista e perguntasse: doutor, o que é melhor?

  1. Uma paciente na cama em depressão e dor intensa e crônica, sem trabalhar, sem cuidar dos filhos, sem sorrir e com um colesterol baixo,
  2. Uma pessoa feliz, tranquila, plena como ela nunca acreditou poder ser e um colesterol muito alto.

O que o senhor prefere?

Vocês sabem a resposta.

Conclusão final: o que farei?

É por isso que minha conclusão final é o que minha psiquiatra me disse, que medicina não é sobre marcadores de risco, é clínica. É o médico e o paciente, no consultório, avaliando a vida individual e os resultados individuais.

Medicina baseada em evidências é linda. Mas, quando o paciente foge às evidencias, o médico precisa lembrar que temos seres humanos complexos, com vidas complexas. São pessoas com desejos, medos, vontades, sentidos.

Não somos números em um papel.

Refarei meus exames de sangue nos primeiros dias de janeiro.

O escore de cálcio ficará mais para o fim de janeiro ou fevereiro, porque preciso viajar para fazer e estarei de férias com minhas filhas, fazendo o possível para caminhar, me levantar, sorrir com este quadro terrível que hoje me atinge.

De tudo que aprendi, a minha lição é uma história de obstinação pela felicidade. Não essa felicidade fácil que vemos hoje em dia. É uma felicidade de autobusca, autoconstrução.

E a Keto me permitiu abrir os olhos para novas vidas. Para uma vida possível.

Para uma existência plena e sustentável.

8 Comentários

  1. Juliana! Me emocionei contigo. Que relato verdadeiro…
    Gosto muito do teu jeito de abordar os assuntos e sei que muito do meu sucesso vem das tuas palavras. E isso não tem preço. Sinto este bem estar que falas… Sinto o quanto eu melhorei…. Sei o quanto é bom saber que o açúcar e o trigo estão longe e sem falta alguma. Isso pra mim parece mágica!!!!
    Estou chegando no meu quarto mês de cetogênica + jejum, e minha relação com o mundo mudou, quando mudei minha alimentação. Ninguém acredita quando falo…. Por isso praticamente não toco neste assunto, infelizmente. Pois o mundo ainda acredita na velha pirâmide e nos velhos conceitos, e recriminam o “novo” que não é novo! Por puranorefuica de buscar informação e abrir a cabeça para outros conceitos.

    Enfim Ju, estamos juntas. Logo tudo voltará ao normal, certamente tu encontrarás um caminho e voltarás a ter o prazer de viver tranquila e com aquela energia a mil, novamente!

    Estamos juntas nesta caminhada. 😘

    1. Nanda, peço perdão pela demora, mas te adianto a felicidade que senti ao ler teu comentário. A Cetogênica é e, por muitos anos será, desmerecida em seu potencial. Isso não se dá apenas por quem vai contra o consumo de carnes ou de gordura, mas muito também por quem entra na Keto por propósitos mais objetivos. É uma Dieta difícil e as pessoas que acabam saindo rapidamente também podem disseminar textos equivocados na internet.

      Acaba que ficamos com a Cetogênica para doenças muito graves ou como um tipo de moda de emagrecimento rápido. Uma percepção bipolar típica do nosso tempo.

      É um bom aprendizado este. Reforça a necessidade de sabermos nosso propósito interno e silenciarmos as vozes ao nosso redor. Aprendi com meus mestres diretos a nunca propagandear falsas promessas ou a precisar combater o suposto inimigo. Sigo com a cabeça baixa, fazendo um trabalho de formiga. Na esperança de que quem precisar possa encontrar nossos estudos e experiências.

      No fundo, é só para isso que escrevo. Para constar que existe uma alternativa para quem está pronto. Só assim que sei que atingirei as pessoas certas, como tu e alguns poucos que precisam da nossa mão esticada em apoio incondicional.

    1. Vamos trocando experiências sim, Rita. Nosso caso é bastante similar. Precisamos andar juntas e a Cetogênica bem feita, terapêutica, com alto número de corpos cetônicos, tem transformado a vida de muitas mulheres como nós (eu dentro). Vamos caminhando e conversando, nos ajudando conforme pudermos.

  2. Bom, Juliana, estou conhecendo seu site agora, parabéns pelo trabalho. Como comentei antes em algum lugar, é um dos poucos sites de qualidade sobre esses assuntos infelizmente “obscuros”, hoje, mas, como sabemos, tão importantes.

    Quanto ao teu caso particular, gostaria de comentar que estou numa situação parecida – é só trocar as dores / possível bipolaridade por espondiloartrite anquilosante, que melhorou MUITO com uma dieta cetogênica (carnívora), mas elevou bastante meu colesterol e LDL.

    Infelizmente, temos que enfrentar uma situação adversa, que é estar entre aquela minoria que responde mal (talvez? não temos certeza) a um tratamento que, por si só, já é coisa de uma minoria. Ou seja, somos uma parcela de uma parcela. E… bem, o que fazer diante disso?

    Ora, podemos fazer várias coisas, e acho que é disso que você está falando. Em primeiro lugar, você está consultando com o Dr Souto, uma autoridade nesses assuntos – o que nem todo mundo consegue, por diversos motivos (distância, tempo, dinheiro, agenda, etc). Depois, você se dispôs a buscar conhecimento, e encontrou. É bem verdade que eles ainda não estão consolidados, mas imagine como seria essa busca a apenas 100 anos atrás? Você também encontrou a força e a disciplina para tentar esses novos estilos de vida, e isso fala bastante de quem você é, penso eu.

    Enfim, acho que você está em boas mãos, tanto pelos médicos / sites que estão te ajudando, quanto pela tua atitude para contigo mesmo.

    1. Não estou mais me consultando com o Souto, Rafael. Desde que me deparei com estas alterações, cálcio no coração etc, e o Souto foi muito amigável e claro ao constatar que eu deveria largar a Cetogênica, me debrucei sobre estudos milenares e atuais para formular uma dieta de continuidade após a cetogênica. Estes estudos não apenas me ajudaram a ter o colesterol mais baixo que tive em toda a vida (desde criança), como também estão me ajudando a compreender por que a Keto gera desequilíbrios em algumas pessoas enquanto regula os desequilíbrios em outras. Enfim, as chamadas constituições físico-mentais. Tenho um longo caminho pela frente e ele, inevitavelmente, terá seu fundamento na medicina ancestral e precisará encontrar algum respaldo na contemporaneidade. As pontes que nos fazem cruzar tudo.

      Todos devemos ser pontes. Abração com carinho e obrigada pelas palavras de força.

    1. Oi, Adri! Pode deixar, sempre respondo no site. O médico te liberou para a cetogênica, é isso? Precisamos da liberação dele, sendo tua cirurgia tão recente (não podemos correr riscos nutricionais). Caso ele não aprove de imediato, podemos ir adaptando teu organismo para a cetogênica até a data mínima que ele sugerir. Para que eu possa te ajudar individualmente, pode me chamar nas mensagens privadas do instagram ou do facebook. Seguiremos juntas na caminhada de emagrecimento, manutenção e saúde mental nesta fase tão delicada. Fico no aguardo! Abração e até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *