Artigos

Dieta Cetogênica: a pílula mágica

Tudo sobre a Dieta Cetogênica em apenas 1h30 na frente da televisão. Se você ainda tem dúvidas sobre benefícios da Keto ou até se questiona se a Cetogênica é para você ou não, a dica de hoje é para você.

É o filme A Pílula Mágica, que compila incontáveis histórias de vida transformadas pela Dieta Cetogênica. O documentário, uma produção da Netflix, também está disponível no YouTube, com legendas em português.

Assistam ao filme.

Tanto por vocês mesmos, quanto para compreender uma das mais lindas histórias da Keto e da Low Carb no mundo: a do imenso mestre Tim Noakes, que foi processado e quase perdeu sua licença médica por lutar incansavelmente pela nossa saúde.

Professor Tim Noakes

Enquanto Noakes revoluciona a saúde da África com seus projetos sociais usando a Keto a baixos custos, nós seguimos nosso trabalho no Brasil.

Nosso árduo trabalho, tentando levar informação de qualidade para promover a grande verdade sobre o ser humano: evoluímos para ser muito mais do que a civilização diz que somos.

Não precisamos ser vítimas de questões políticas. Não precisamos ser vítimas da cisão entre medicina e nutrição. Não precisamos ser fruto de erros do processo civilizacional. Não precisamos sofrer tanto.

É apenas isso que a Dieta Cetogênica faz, ela nos leva de volta para o que a natureza queria de nós. Voltamos a funcionar, porque abastecemos o corpo humano com o combustível correto. Porque respeitamos nosso corpo e nossa evolução.

Comece sua Dieta Cetogênica pelo Guia Keto

Foram incontáveis as lágrimas que derramei assistindo às histórias no filme…

  • Por cada mãe mostrando a melhoria de seus filhos com doenças crônicas em uma, duas semanas de Keto.
  • Pela senhora, cujo esforço descomunal para seguir diretrizes médicas, seguia vendo a diabetes destruir sua vida.
  • Pelo câncer que sumiu.
  • Pela senhora que destruiu a vida dos netos com carboidratos e teve a chance de recomeçar.
  • Por cada vida vivida com dor, doença, medo, culpa… E jamais nos disseram que a resposta era algo tão, mas tão simples: abastecer o corpo da forma correta.

Eu sei. Eu vivi tudo isso e farei o que puder para levar mais pessoas comigo nesta maravilhosa jornada.

Por que entrei na Dieta Cetogênica

obesidade dieta cetogênicaPor que eu entrei na Keto não é segredo para ninguém. Todos sabem do meu histórico de obesidade, depressão e transtornos alimentares.

Eu tenho quatro empregos. Eu tenho duas filhas pequenas. Eu preciso acordar às 5h e saio do trabalho… Bem, nunca. Eu sou mãe.

Uma mãe com uma grande casa, grama para cortar, jardim para cuidar, chão para limpar, comida para preparar e dinheiro para ganhar.

Ainda, estou na crise dos 30, o maravilhoso momento em que me redescubro como ser humano e quero estudar novas coisas, fazer novos cursos, enfim, me transformar.

E onde está a energia para isso? 

Juliana (eu) era uma pessoa de 36 anos com incríveis problemas.

Eu não conseguia dormir, acordava tarde e estava sempre cansada. Eu tinha dores diárias no corpo todo. Inflamações terríveis na pele, na gengiva, nos olhos. Fibromialgia intensa.

Eu precisava terminar meu dia por volta das 15h, quando o sono e a dor eram tão grandes, que eu simplesmente não conseguia prosseguir.

Mas, quem pode parar, certo?

Essa constante sensação de que o mundo exigia muito mais do que meu limite pessoal foi me deprimindo. Eu era amarga. Cinza.

Eu tinha um histórico terrível de transtornos mentais e estava voltando para isso. Medo. Fracasso.

Eu já tinha me convencido de que eu era isso.

Eu era pouco para minha própria vida.

Eu não tinha força, eu não tinha energia, eu era agressiva com minhas filhas, que eu tanto amo.

Ah, minhas filhas. Como mãe, as coisas não estavam dando muito certo não… Porque é preciso MUITA ENERGIA para ter dois filhos. Uma quantidade de energia que apenas quem tem dois filhos sabe explicar.

Até aqui, eu conseguia levar e sobreviver a este quadro. Depois que minha segunda pequenina nasceu, as exigências da vida me colocaram contra a parede.

“Eu assumi uma vida acima do que consigo suportar.”

Acordava e dormia pensando nisso, estava sendo sufocada pela minha própria vida. Nada dói mais do que enxergar os filhos como um peso no coração de uma mãe.

Bem, o retorno da depressão era questão de tempo. Eu sabia disso. Mas, eu não ia voltar. Eu não podia. Estava decidida a ter força.

Ocorre que eu não sabia que a tal força não era apenas uma decisão “mental”, como se a mente e o cérebro estivessem separados. Eu tinha uma questão cerebral.

Meu cérebro era um carro elétrico e eu o abastecia com diesel diariamente. Por anos.

O motor, é claro, foi pifando. E eu comecei a estudar o que este combustível errado, a glicose, poderia de fato impactar.

Foram anos ouvindo de médicos que meu quadro era “coisa da minha cabeça”. Exames perfeitos, nada de errado.

Era psicossomático ou mais algum argumento que separe corpo, mente e cérebro.

Até que meu trabalho me levou a encontrar a Dieta Cetogênica.

Tudo que estou vivendo pode e deve ser compreendido no documentário A Pílula Mágica.

Doenças da civilização e Dieta Cetogênica

Observe: 70% das doenças que temos hoje – as doenças civilizacionais – têm um grande denominador comum: a insulina.

Uma única mudança no seu prato pode modificar tudo que temos vivido até aqui: autismo, câncer, TDAH, diabetes tipo 2, tipo 3 (alzheimer), epilepsia, parkinson, autoimunes, doenças inflamatórias, esquizofrenia, pressão alta, ansiedade, depressão, bipolaridade, fadiga crônica, transtornos do humor e a lista só cresce.

Podemos prosseguir a lista até basicamente trocarmos o SUS por um supermercado com comida de verdade… Por uma dieta tão antiga quanto o tempo em que éramos livres das doenças que nos destroem hoje. A Dieta Cetogênica.

Divulguem este filme para quem puderem.

Contem suas histórias com a Dieta Cetogênica nos comentários, por favor. Eu sou uma amante, uma colecionadora de histórias. Acredito que não há ferramenta mais poderosa do que informação somada a histórias de vida transformadoras. Colaborem com a causa!

Sigam firmes e fortes.
Powered by ketones.

2 Comentários

  1. Ju… Emicionante o documentário! De sentar, assistir e pensar por um bom tempo em tudo que se vive!!! Pensar que somos massacrados pela indústria alimentícia da medo. Medo pq cada vez mais eles inventam maneiras de manipular mais o consumidor. E as leis permitem… E nos pobres mortais acabamos dizendo amém e aceitando! Falo da massa que não pesquisa… Graças a Deus virei a chave e acordei pra uma nova vida. Depois de muito sobrer com a pressão desta sociedade… Resolvi mudar a cabeça… Oh coisa difícil! Mas a cetogenica e o jejum foram e são meus companheiros somente há 2 meses… E eu já me sinto num novo mundo 😍. Feliz em poder ver no documentário a cura pra tantos males… Em poder ver pessoas acordando como eu acordei! Encantada com o trabalho destes mestres que vão de grão em grão disseminando a boa informação! Tu é uma multiplicadora como eles… Obrigada por me ajudar a entender esse novo mundo… Também estou tentando compartilhar as informações com pessoas… Mas quanta resistência! Enfim vamos devagar fazendo o trabalho de formiguinha. E continuo dia após dia querendo ser uma pessoa melhor de corpo e mente… kkkk… Prezando muito a malhação do cérebro! Kkkkk… beijo querida e mais uma vez, obrigada! Fernanda

    1. Fê, passei alguns meses buscando cursos de especialização em Cetogênica em todos os países que tu puder imaginar. Grande parte deles (todos) exige alguma especialização na área de saúde. Pois bem, fui ver o que mais se adequava à interdisciplinaridade que tanto me guia: health ou wellness coach. Encontrei um curso que me agradou muito nos EUA. Questionei sobre as bases nutricionais deles. Eu queria Keto. A moça me jogou uma frase que eu precisava ouvir, porque é a grande lição da vida: o primeiro passo do coach não é definir a meta da pessoa, é saber onde a pessoa está. É saber o que ela pode fazer naquele momento.

      Como esquecemos disso! Creio que é um daqueles mantras que todos deveriam repetir cotidianamente. Quantos anos levamos para chegar aqui (e quem disse que este é o ápice do caminho?)?

      A única verdade é que cada um tem seu tempo e precisamos confiar que todos, sem exceção, estão fazendo o máximo que podem. Esta confiança na humanidade é a chave suprema da felicidade. É quando nos aceitamos plenamente, quando nos perdoamos e abraçamos todos os tempos e diferenças. É quando finalmente conseguimos estar bem ao lado de quem não pode vir junto e conseguimos celebrar os caminhos, os processos, o tempo. Celebrar o próprio tempo é ser livre. Celebrar o tempo alheio é amar. E isso é ser feliz. Nada mais.

      Abastecer o cérebro como ele merece não é uma finalidade. Mesmo eu tendo um site sobre a Keto, sei que ela é apenas a mais poderosa ferramenta para finalmente buscarmos toda esta sabedoria… A sabedoria de ver que pouco sabemos sobre nós mesmos e nada sabemos sobre os outros. E que isso é simplesmente maravilhoso. Principalmente, com tantos anos extras que ganhamos. Com tanta energia e foco para finalmente podermos construir o que tivermos que construir… E levar quem puder e quiser junto conosco.

      Longe de mim te ensinar algo. Creio que esta minha resposta é um lembrete para nós todos. É a única coisa que deve ser fixa em nós. Nossa capacidade de celebrar que nada ou ninguém é fixo. Vamos seguindo nossa jornada, enviando convites para todos. Abraçando quem aceitar nossa mão estendida.

      Te gosto muito. Te levo no peito, Fê. Um beijo grande aqui do sul do país (com nata!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *