Artigos

Diarreia na Cetogênica?

O número de pessoas que passa pela diarreia na Cetogênica é reduzido, se comparado com o problema clássico da constipação Low Carb. Mas, a diarreia não deve ser ignorada. É importante notar como a Dieta Cetogênica altera o trato intestinal tanto para mais quanto para menos. Isso ocorre por mudanças nas gorduras, sal e minerais, hidratação, consumo de alimentos que podem gerar sensibilidade, fibras etc.

Vamos ver o que podemos fazer caso seu problema seja a diarreia keto?

Eritritol: da minha experiência, a primeira coisa que pedirei que verifique é o consumo de eritritol ou xilitol. Melhor ainda, dos poliois (alcoois de açúcar): eritritol, xilitol, sorbitol, manitol, maltitol, lactitol e isomalte. Eles são o fator #1 para a diarreia.

Ômega 6: a relação ômega 3 e ômega 6 deve ser sempre observada. Na Keto, existe uma tendência ao consumo excessivo de nuts (castanhas, nozes, amêndoas etc), que possuem um elevado valor de ômega 6. Claro que não é justo comparar nuts aos óleos vegetais como soja, milho, girassol, conhecidos pelo ômega 6 e poder inflamatório. Mas, mesmo assim, devemos considerar o ômega 6 das nuts quando se trata de diarreia.

Gorduras: use as gorduras com dupla sabedoria dupla neste caso – opte tanto pela qualidade quanto pela quantidade. Uma das melhores coisas para tratar constipação é aumentar gorduras. Portanto, aqui vamos tirar excessos. Vá com as gorduras que vêm dos próprios alimentos. Não adicione gorduras excessivas aos pratos. Remova, especialmente, MCTs (Brain Octane) e óleo de coco. É uma boa ideia parar com os laticínios por um tempo para testes de intolerância também (nata, creme de leite etc).

Magnésio: outra coisa genial para tratar constipação, o magnésio deve ser observado se o intestino estiver solto demais. Se você suplementa magnésio, repense-o imediatamente.

Folhas verdes: não posso enfatizar o suficiente minha paixão pelas folhas verdes. Aqui, elas entram como a mais eficiente fonte de fibras. Sempre indico as melhores aos clientes para que já optem pelas mais ricas: couve, couve chinesa, espinafre, folhas de beterraba devem ser constantes no seu prato. Mínimo de 1 xícara diária.

Fermentados: busque comer diariamente uma porção de chucrute (você encontra pronto da marca Hemmer). Também, pode aprender a preparar kefir ou kombucha de forma que entrem na Cetogênica (com mais fermentação e açúcar reduzido). Tenho clientes que fermentam tudo: brócolis, couve-flor, o que você imaginar. Não vou tão longe, só peço que tenha fermentados algumas vezes na semana na dieta. Eles eram base na nossa dieta quanto tínhamos saúde intestinal-mental.

Remédios que podem ajudar:

  • Carvão ativado (meu favorito para tudo)
  • Ácido clorídrico e enzimas digestivas como protease, lactase, papaína, bromelina, pancreatina etc. Você encontra complexos de enzimas digestivas à venda em lojas de suplementação.
  • Probióticos são ótimos aqui. Sempre indico três bactérias em especial: Lactobacillus Acidophilus + Lactobacillus Casei + Bifidobacterium Longum. Uma marca com bom custo-benefício é o Probiatop.
  • Ketorade, o gatorade da Cetogênica. Não que ele vá tratar a diarreia, mas evitará deficiência mineral neste período. Clique aqui para acessar a receita do repositor de eletrólitos Keto.

Procure seu médico se a diarreia persistir por mais de duas semanas. Neste meio tempo, aumente a ingestão de sal e água. Não podemos correr o risco de deficiência mineral.

 

Deixe um comentário

Faça login para comentar
avatar
1000