Artigos

Colesterol aumentou na Dieta Cetogênica? O que fazer? Série Colesterol na Keto [parte 2]

colesterol cetogênica low carb protocolo feldman paul mason souto josé neto

Entrei na Dieta Cetogênica e meu colesterol aumentou – e muito. O que faço agora? Hoje, você vai ver o que é possível fazer para minimizar sua angústia (será que ela é necessária?). Passaremos pela opinião do Dr. Souto e do Dr. José Neto, pela calculadora de Framingham e pelo Protocolo Feldman, uma forma de manipular o colesterol. Mais ainda, veremos a explicação do médico Paul Mason para o motivo do protocolo funcionar tão bem – e tentaremos extrair algumas linhas gerais de possíveis mudanças na nossa dieta.

Se não é possível viver com um colesterol de 500 (o que é questionável), não é possível viver sem os benefícios da Dieta Cetogênica (o que é inquestionável para mim e outras pessoas que fazem a Keto por razões terapêuticas).

Esta é a parte 2 da série composta por 4 vídeos. 

Vídeo 1 – Causas: conheça as possíveis causas do seu painel lipídico ter enlouquecido e saiba se você tem de fato um problema. Clique aqui para assistir à parte 1.

Vídeo 2 – Soluções: no vídeo de hoje, você verá o que pode ser feito daqui. Veremos a opinião do Dr. Souto e do Dr. José Neto. Aprenderemos sobre o Protocolo Feldman (o que é e por que funciona).

Vídeo 3 – Conclusões: explicarei o que farei daqui para frente e o que aconteceu com meu organismo exatos 7 dias depois de dar um tempo na Cetogênica. É um relato emocionado que, eu espero, te faça olhar com carinho sobre o poder da Cetogênica na vida humana.

Vídeo 4 – BulletProof Coffee: seria o MCT (ou óleo de coco) um dos causadores do colesterol elevado? Veremos possíveis problemas e também os benefícios do MCT. Comentarei minha experiência pessoal com o Brain Octane na Dieta Cetogênica.

Para não perder os próximos vídeos da série, se inscreve no meu canal e não esquece de ativar as notificações. Se você não ativar o sininho das notificações, seu celular explodirá. Mentira. Ative o sininho e ajude o canal. Apenas isso.

Por último e mais importante: se tiver comentários, faça-os no site.

Comentários nas mídias se perdem e seu caso pode ser de imensa relevância para alguém que está passando pela mesma situação. Se você comenta em um site, seu comentário é localizado através do Google. Comente de forma anônima, não importa. Apenas registre sua experiência. Quem precisar de auxílio encontrará sua resposta.

Colabore com as pessoas. Comentar em sites é um serviço de ajuda a todos.

Bom, vamos começar.

Colesterol explodiu na Cetogênica. O que faço?

Se você fez seus exames e seu colesterol enlouqueceu, você vai observar os seguintes marcadores:

Se sim, converse com seu médico e veja o que pode ser feito. Se tudo estiver ruim, como foi meu caso, você observará outros exames.

  • Hemoglobina glicosilada
  • Escore de cálcio
  • Apo-B e Apo-A1
  • Marcadores inflamatórios
  • Subfrações de lipoproteína

Estes são alguns exemplos. Após fazer novos exames, a decisão final será sua. Converse com seu médico e avalie seu histórico, seu cotidiano, seus vícios, riscos, hábitos etc.

Mas, antes de se preocupar, vamos refletir sobre o que Dave Feldman tem encontrado?

Protocolo Feldman: manipule seu colesterol

dave feldman colesterol cetogênica low carb protocolo

Quem é Feldman, Juliana? Dave Feldman é um engenheiro de software, biohacker de primeira linha. Ao entrar na Cetogênica, Feldman passou por esta loucura no perfil lipídico e decidiu que ia encontrar o código do colesterol: como o colesterol se comportava no corpo humano.

Uma missão bem singela, não é mesmo?

Bem, Feldman e sua mente de engenheiro, que enxerga tudo em padrões, começou a fazer diversos exames de sangue, alterando sua dieta de forma bastante rigorosa para verificar possíveis mudanças no colesterol.

Em um ano, Dave fez 100 exames de sangue em si mesmo. Mais ainda, ele expandiu essa tarefa a amigos, família até a Keto Fest, onde ele aplicou seu protocolo em algumas dezenas de especialistas em Keto.

O que Feldman tem descoberto?

P.s: sobre triglicerídeos aumentados na Dieta Cetogênica, falarei no vídeo 4 desta série.

Colesterol elevado após a Keto

Após criar dezenas de gráficos cruzando alimentação e resultados em exames, Feldman notou um padrão espelhado na relação consumo de gorduras x colesterol LDL.

O que isso significa: a quantidade de gorduras ingerida tinha uma relação matemática perfeita com o número registrado no exame de colesterol.

Você já está aí pensando que é algo óbvio… Quanto mais gordura a pessoa comer, maior será seu LDL.

Bem, sente-se, porque é o exato oposto.

Quanto mais gordura você ingerir, menor será seu colesterol.

Vou mostrar apenas um gráfico do Feldman para que você tenha uma ideia da perfeição do espelhamento. São dezenas de gráficos com diversas pessoas em que o resultado é uma imagem como esta.

exames colesterol gráfico funcionamento ldl

A proporção é tão perfeita e a taxa de sucesso neste espelhamento é tão alta, que Feldman passou a ser procurado por pessoas que desejavam “burlar seus planos de saúde”.

Ao aderir a um plano de saúde, norte-americanos precisam fazer exames. Se o LDL for alto, mesmo que a pessoa seja o ser humano mais saudável da face da terra, ela terá que pagar muito mais (isso se for aceita). Mas, se a criatura fizer o protocolo Feldman, o colesterol despencará e ela será celebrada pelo plano.

Como fazer o Protocolo Feldman?

Existem três tipos de protocolo. Não explicarei os três, apenas um. Mas, direi que a premissa básica é a seguinte: aumentar muito as calorias ingeridas, em gordura, nos dias anteriores ao exame.

Um dos protocolos pede que você reduza as calorias e as aumente depois. Outro pede que o período de alta ingestão seja mais extenso. Mas, o protocolo mais usado é o mais simples.

Protocolo Feldman: três dias antes do exame, você consumirá de três mil a cinco mil calorias em alimentos altamente gordurosos. Fará os exames e verá seu colesterol despencar. 

É grotesco, eu sei… E funciona para algo como 80 ou 90% da população.

É uma reflexão interessante para quem afirma que comer gorduras aumenta o colesterol. Fosse isso, estas centenas e centenas de exames mostrando o contrário seriam apenas uma mentira.

Para esta reflexão ser ainda mais importante, precisávamos compreender o porquê disso ocorrer. Faremos isso agora, com a explicação do médico Paul Mason.

Paul Mason explica a lógica do Protocolo Feldman

Em palestra ao Low Carb Under, o médico australiano Paul Mason explica como o protocolo funcionaria.

Não é exatamente gorduras a mais que você precisa comer, diz Mason. Você precisa comer mais e ponto final.

Por quê? Quando você aumenta as calorias, você aumenta a insulina. Ao aumentar a insulina, seu corpo produz mais receptores de colesterol, responsável por remover o colesterol da corrente sanguínea.

Vamos lembrar da hipótese do cardiologista William Davis, que ganhou o mundo com sua obra-prima Barriga de Trigo. Davis esclarece que pessoas que estão perdendo muito peso (ou seja, comendo muito menos calorias), têm o colesterol bastante elevado.

Faz sentido que aumentar calorias reduza o colesterol, não? Hipóteses a serem testadas.

O que Mason nos diz sobre o protocolo Feldman então?

Não é necessário comer uma dose cavalar de gorduras. Alguns dias antes dos exames, apenas aumente um pouco os carboidratos para elevar um pouco sua insulina (se você é diabético, por favor, não siga isso).

Testarei. Certamente testarei.

Quero me inscrever no Revolução Keto

Deixe seu email, que enviarei os melhores conteúdos para você!

Colesterol aumentou na Dieta Cetogênica? O que fazer? Série Colesterol na Keto [parte 2] 1

Dr. José Neto e Dr. Souto: diferentes opiniões

No Seminário Gaúcho de Paleo e Low Carb, que aconteceu no dia 1º de dezembro de 2018, consegui reunir duas grandes mentes da medicina brasileira na minha frente, o Dr. José Neto, de Belo Horizonte, e o Dr. José Carlos Souto, de Porto Alegre.

Quando os questionei sobre a questão do colesterol muito elevado na Cetogênica ou na Low Carb, recebi duas respostas preciosas e diferentes. Vamos ver o que ambos têm a nos dizer:

Dr. Souto: “Os corpos cetônicos podem entrar na rota do colesterol. Em algumas pessoas, o colesterol pode disparar. Se for pra 500, como tem alguém na plateia, só sair da cetose já ajuda. Alguns carboidratos Paleo já funcionam.

Também, há pessoas que, se são hiper-responsivas, têm que mudar o perfil das gorduras. Menos torresmo, porco e mais nozes e castanhas, peixes e abacates. Low Carb não é se encher de gordura saturada.

Alguns dizem que o gene ApoE4 pode estar associado à resposta. Não temos um estudo concreto sobre isso. É uma hipótese. Como ninguém sabe, na dúvida, deixemos o colesterol um pouco mais baixo neste caso.

Dr. José Neto: “penso um pouco diferente do Dr. Souto. Não sabemos se o colesterol é vilão. Como está o paciente? Fuma? É hipertenso? Qual o histórico familiar?

Há duas calculadoras de risco que uso. Framingham e MESA.

Elas me ajudam a nortear o risco. Preciso saber o risco de o indivíduo ter um evento cardiovascular. Se ela mostra um risco de 5%, até 10%… Bem, isso não é 50%. Se o paciente está bem, mas o colesterol está 400 e o risco é baixo, vai fazer o exame de escore de cálcio. Se o escore for zero, o risco que já era baixo será ainda mais baixo.

É óbvio que o que o Souto falou não está errado. Eu só não tenho medo do colesterol. Pode ser 400, 450 ou 500. Eu olho para o paciente como um todo. Eu não uso estatinas só porque o colesterol alto.”

Dr. José Neto sentou comigo e calculamos meus riscos cardíacos através da Framingham. A chance de morrer ali, naquele momento, era de 5%. Isso não me faria sair da Cetogênica de jeito algum. PORÉM, em 10 anos, meu risco na mesma calculadora, se tudo prosseguir igual, é de 10%. Daí, as coisas apertam.

Admito que é por causa da mais pura cautela que Dr. Souto e eu chegamos a uma conclusão. Prudência me faz feliz. 

Notas e conclusões: o que farei

Dr. Souto e eu decidimos dar um tempo na Cetogênica até reduzirmos o colesterol e encontrarmos uma forma de fazer a Keto sem esta resposta do corpo.

Coisas que devem ser avaliadas no meu caso (curiosidades):

1 – Meus exames anteriores à Cetogênica estavam ótimos. Meu corpo era um lixo, as dores eram simplesmente e totalmente insuportáveis. Uma vez por semana, eu ia ao hospital tomar injeções e remédios para bactérias, inflamações e controle de dor (funcionava por 24h e era isso).

Frente a isso, minha vida era apenas lastimável e minha mente era minha pior inimiga. Mas, os exames estavam ótimos – perceba a tragicomédia que é viver. Após a Keto, não tomei um remédio sequer, porque tudo sumiu. Mas, os exames pioraram – nova pausa para admirarmos a tragicomédia.

2 – Não houve elevação significativa de gorduras. Sim, no primeiro mês de Cetogênica, eu abusei das gorduras para ajudar na adaptação. Porém, no segundo mês meu consumo foi quase o mesmo da época anterior à keto. No terceiro mês, meu consumo de gorduras foi menor do que na época anterior à Keto.

Ao ouvir que eu estaria comendo gorduras demais, comi menos ovos, menos carne, cortei manteiga, abacate, ômega 3 e banha no terceiro mês. Mantive três colheres de nata diárias e um fio de azeite de oliva na salada. No quarto mês, fiz os exames. E boom.

Falarei sobre como me senti fazendo uma Cetogênica com baixas gorduras (Keto-Dukan, como eu chamo), no vídeo 4.

3 – Minhas teorias sobre meu caso: penso na hipótese dos corpos cetônicos entrando na rota do colesterol, apontada pelo Dr. Souto. Meus corpos cetônicos estavam altíssimos no período prévio ao exame.

Do que percebo, as pessoas que relatam estes casos são aquelas que estão “fat adapted”, adaptadas à queima de gordura, com baixíssimo consumo de carboidratos. A imensa mobilização de gorduras no corpo, neste caso, precisa ser levada em conta.

Também, preciso levar em conta o emagrecimento rápido, claro. Apesar de que o emagrecimento (9kg) ocorreu no mês dois e os exames no mês quatro.

Por último, me ocorre algo muito forte, que pretendo testar. Se você observar, eu fiz o protocolo Feldman ao contrário antes dos exames.

Ou seja, eu comia uma grande quantidade de calorias em gorduras e reduzi MUITO a quantidade. Apenas ao trocar o abacate por um pote de gelatina diet, eu reduzi quase mil calorias. O corte na manteiga, óleo de coco e outras coisas me levam a muitas calorias a menos. Isso deve ser ponderado.

Você deve sair da Keto por causa do colesterol?

Não disse isso em momento algum. Eu disse que você deve avaliar o seu histórico pessoal e refletir se pode arcar com este fato. Ainda, observe se é apenas o LDL que está alto ou se tem outros marcadores complicados elevados, como foi meu caso. Ainda, eu tenho diversos outros fatores de risco nas minhas costas e, por isso, não poderei ficar tranquila com isso.

(não poderei ficar tranquila com as consequências de ter saído da Cetogênica)

Estou em um momento de avaliação, em que não posso perder os benefícios da Keto. Hoje, sou capaz de ver a desgraça de vida que eu tinha antes da Dieta. Mas, não posso ter um colesterol de 500.

Darei um jeito de conciliar as coisas.

Link e referências deste conteúdo

Palestra sobre colesterol com Paul Mason: ‘Blood tests on a ketogenic diet – what your cholesterol results mean’

Dave Feldman: triglicerídeos altos na Dieta Cetogênica 

Dave Feldman: palestra na Keto Fest, em que ele explica tudo de uma única vez (bom conteúdo inicial). No canal do 2 Keto Dudes. Siga eles também e ouça os podcasts.

Widowmaker: documentário sobre o teste de escore de cálcio (farei um conteúdo no site, porque é magnífico). Com legendas em português. Assista ao filme no canal de Ivor Cummins. Aproveite e siga o Cummins. Selecione a legenda em português no menu do player, ok? Ela não está embutida, é preciso selecioná-la.

Site do Dr. José Neto

Site do Dr. José Carlos Souto

4 Comentários

  1. Bom dia, ótimo video e blog. Comecei a fazer keto novamente em dezembro, fiz exames de sangue agora em março e tudo piorou bastante!

    Quando virão os próximos videos? Gostaria de saber o que estás fazendo agora. Obrigado.

    1. Ai ai ai, Gustavo. Sabe que algumas pessoas têm encontrado meu vídeo quando buscam por este problema? Fico terrivelmente triste por eu ter passado por isso, mas quando aconteceu eu sabia que teria que gravar algo para dar um chão para todos.

      Olha, a solução que eu encontrei não foi na Cetogênica. Não me parecia justo falar sobre isso no canal, mas tenho repensado em virtude de vocês, que me buscam com a mais justa das aflições. Quer que eu grave algo falando sobre isso? Acredito que encontre um tempo na agenda para abordar de forma mais informal o meu tratamento atual.

      1. Claro, gostaria muito de saber como está o andamento do seu tratamento, até porque a partir daí poderei pensar no que fazer no meu caso. Provavelmente consultarei o Dr. Souto, já que moro em POA.

      2. Oi Juliana, continuo aguardando seu comentário sobre possiveis soluções para a piora do colesterol… tenho que retornar para o cardiologista, e já sei que ele vai me recomendar estatinas, o que não pretendo tomar…. estou pensando em consultar o Dr. Souto. Aguardo sugestões ou um post especifico. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *