Artigos

Cetogênica para hipotireoidismo: o que você deve saber

dieta cetogênica e low carb para hipotireoidismo tireoide

Uma disfunção é comum a quase todas as clientes que atendo com Dieta Cetogênica: o hipotireoidismo. Se estas mulheres foram bem diagnosticadas ou não, são outros 500. O que interessa, neste conteúdo, é você entender alguns fatores alimentares que podem estar interferindo na sua tireoide – mais ainda, aprender como adaptar sua Cetogênica a esta desregulação.

É fundamental que você entenda que as questões que afetam a tireoide são incontáveis e qualquer pesquisa básica te mostrará que um único conteúdo sobre isso é virtualmente impossível. Portanto, sinta-se livre para comentar alertando as leitoras sobre estudos e recomendações médicas que você recebeu. Colabore e conte seu caso para nós.

Hoje, veremos o que as pesquisas têm demonstrado sobre alguns destes elementos. A parte nutricional vem da grande musa global da Dieta Cetogênica e Carnívora para saúde mental, a psiquiatra Georgia Ede.

Pessoalmente falando, minhas questões hormonais são perfeitamente expressas na capa da obra The Hormone Cure, em que uma das maiores endocrinologistas do mundo, a Dra. Sara Gottfried, aparece segurando um tapete de yoga.

Cetogênica para hipotireoidismo: o que você deve saber 1Cetogênica para hipotireoidismo: o que você deve saber 2No meu caso individual, a remoção dos nutrientes aqui mencionados não colaborou muito. O estresse segue sendo o principal fator da minha desregulação. Pense nisso caso métodos mais objetivos não funcionem para você.

Da minha trajetória, o estilo de vida, a ansiedade, o estresse e a deficiência de sono são os fatores mais fundamentais para a saúde hormonal.

Introdução feita, é hora de começar. 

Tenho hipotireoidismo?

Os hormônios da tireoide avisam as células do corpo sobre o quão ocupadas elas devem estar. Muito hormônio (hipertireoidismo) e seu corpo fica sobrecarregado; pouco hormônio e seu corpo reduz a atividade.

A tireoide produz os hormônios T3 e T4, que vão a todas as células do corpo e regulam a velocidade do metabolismo em cada uma delas. Usualmente, a saúde da tireoide é observada através dos exames de T3, T4 e TSH (hormônio estimulador da tireoide), este último produzido pela glândula pituitária, com a função de induzir a tireoide a produzir T3 e T4.

O hipotiroidismo é geralmente diagnosticado quando o TSH está acima de 4,5mU/L. Os sintomas que devem acompanhar o quadro são fadiga, pele seca, perda de cabelo, inchaço, sono excessivo, e ganho de peso.

É importante mencionar que é comum que o T3 seja reduzido em Dietas Cetogênicas, possivelmente por uma grande eficiência do corpo, que passa a precisar de menos T3 (ver Stephen Phinney). Também é relevante dizer que há uma redução nos níveis de T4 na fase inicial da Dieta Cetogênica (no caso do T4, redução transitória).

Portanto, cuidado com falsos diagnósticos de hipotireoidismo na fase de adaptação da Keto. Nada impossível você estar com alguma deficiência nutricional que gere sintomas similares e/ou com baixos T3 e T4 por mera adaptação.

Causas do hipotireoidismo

Do que observo nas clientes, grande parte passou a ter problemas de tireoide em dois momentos:

  • pós-parto (legal questionar a depressão pós-parto aqui, após o nenê ter sugado os nutrientes da mãe)
  • dietas hipocalóricas (quando a própria mulher decide ficar sem nutrientes)

As principais causas de hipotireoidismo variam muito e vão da falta de proteínas à deficiência de iodo.

Isso ocorre porque os dois grandes ingredientes necessários para produzir o hormônio da tireoide são a tirosina (aminoácido que vem das proteínas) e o iodo.

No mundo desenvolvido, Brasil dentro, há proteína e iodo suficientes para garantir uma dieta capaz de manter a tireoide saudável. Na obra The Keto Cure, que eu disponibilizo gratuitamente aqui no site, o médico low carb Adam S. Nally alerta que, em 15 anos de prática, viu apenas uma paciente com deficiência de iodo.

A alimentação provê o iodo. Contudo, dietas hipocalóricas e restritivas (especialmente em carnes, peixes e ovos) podem colocar por água abaixo esta abundância do meio.

Como disse, é bem comum ver este desequilíbrio após o parto, um momento de exceção na vida da mulher, em que nossos amados sugam nossos nutrientes. Dentre os nutrientes que os nenês mais chupam de suas mães, aparece, é claro, o iodo.

Antes que você feche esta página e vá comprar iodo, lembre-se que excesso de iodo pode ser tão ou mais prejudicial do que sua falta.

A Organização Mundial da Saúde sugere que a suplementação de iodo venha do sal iodado (5g de sal iodado por dia é a recomendação da OMS).

Contudo, esta mesma instituição lembra dos riscos de excesso de iodo. De fato, estudos têm apontado que até mesmo a dose de iodo sugerida pela OMS é alta demais, podendo ser prejudicial inclusive para o nenê.

O Centro Cochrane nos fez o favor de analisar o que os estudos têm dito e as evidências são muito fracas para termos um posicionamento sobre suplementação de iodo. Há estudos mostrando que suplementar iodo reduz as chances de hipertiroidismo no pós-parto e, no caso de hipotireoidismo, a suplementação de iodo parece não fazer grande diferença.

De qualquer forma, antes que você pense em pílulas ou quilos de algas, é sempre bom lembrar que o Brasil tem um dos solos mais ricos do mundo. Portanto, alimentos de verdade cumprirão seu papel nesta questão.

Quanto de iodo devo comer para ter uma tireoide saudável

A porção diária máxima de iodo diária recomendada varia de 1,1mg a 1,5mg. A British Dietetic Association sugere o seguinte:

  • População geral: 1,5mg diários
  • Mulheres grávidas e lactantes: 2mg diários

Como consumir iodo para a saúde da tireoide

Uma colher de chá de sal iodado contém 0,28mg de iodo. Como a dose diária é 1,1mg, o máximo seriam 4 colheres de chá de sal iodado.

Cuidado com as algas: algas podem parecer interessantes para suplementar iodo, porém podem exceder o limite rapidamente.

A alga com menor quantidade de iodo é a utilizada para as folhas que envolvem o sushi, nori. São folhas finas e secas, feitas da desidratação de algas da espécie Porphyra (Algas Vermelhas). Uma única folha de nori (3g) pode conter de 0,1mg a 0,4mg de iodo. 10 sushis já ultrapassariam a taxa diária de iodo.

Lembre-se que taxas elevadas de iodo suprimem as funções da tireoide. Ou seja, se você está ingerindo iodo extra para salvar sua tireoide, pode acabar tendo o efeito oposto.

Melhores alimentos para suplementar iodo

Laticínios

1 copo de leite pode ter de 59% a 112% da necessidade de iodo diária. 1 copo de iogurte natural tem, em média, 50% da necessidade diária. Queijos também são boas fontes, apesar de terem números bastante variados conforme o tipo de queijo.

Leite e iogurte não são exatamente cetogênicos, então, é interessante ficarmos de olho em outras fontes de iodo.

Iodo na Dieta Cetogênica

  • Atum (1 lata = 0,35mg de iodo)
  • Ovos (1 ovo inteiro = 0,24mg de iodo)
  • Bacalhau (85g de bacalhau = 1mg de iodo)
  • Camarão (85g de camarão = 0,35mg de iodo)
  • Sal iodado
  • Queijos, especialmente o cottage

Sejamos honestas: apenas com ovos na cetogênica, já consumimos todo o iodo diário. Muito mais barato e fácil do que bacalhau e camarão.

Alimentação para tireoide

dieta cetogênica e low carb para hipotireoidismo tireoide

A preocupação, aqui no Brasil, nem é tanto de consumir iodo suficiente, mas sim de não atrapalhar a absorção. Como diz a psiquiatra Georgia Ede, “eu suspeito que há algo na dieta humana que interfere com nossa habilidade de absorver, utilizar e/ou reter o iodo, e é por isso que parecemos deficientes em comparação a outros animais”.

Bingo.

Hora de vermos os alimentos que mais atrapalham a utilização do iodo no nosso organismo. Caso você tenha problemas de tireoide, é interessante refletir sobre as informações da Dra. Ede, que coloco abaixo.

Não surte: tente reduzir os alimentos listados, caso você os coma diariamente e tenha hipotiroidismo.

Tiocianatos

Presentes em uma variedade imensa de vegetais, os tiocianatos competem com o iodo pela entrada na glândula. Em outras palavras, inibem a captação de iodo pela tireoide. Elimine os seguintes alimentos:

Bambu
Mandioca
Milho
Linhaça
Feijões da espécie Phaseolus lunatus (lima bean)
Batata doce

Crucíferos: rúcula, acelga chinesa, brócolis, couve de Bruxelas, repolho, couve-flor, couves, rabanete, folhas de mostarda, nabo, agrião, wasabi.

Flavonoides

Uma grande família de componentes (mais de 3.000 tipos de flavonoides), também associados às plantas. Vejamos os que são os mais perigosos para a tireoide? Alguns deles, como os da soja e do millet (introduzido no Brasil como um “super grão”) são especialmente arriscados, pois reduzem a atividade da Tireoide peroxidase, a enzima necessária para inserir o iodo na glândula.

Soja
Millet (grão)
Frutas cítricas
Salsa
Cebola
Vinho tinto
Cerveja
Broto de trigo
Camomila

Os flavonoides quercetina, kaempferol e rutina também reduzem a atividade da Tireoide peroxidase e da deiodinase do fígado (enzima necessária para ativar os hormônios da tireoide). A quercetina e seu grupo estão presentes nos seguintes alimentos:

Alcaparra
Cranberry (oxicoco)
Cebola
Chás
Brócolis
Vinho tinto Maçã
Cassis
Uva
Mirtilo Damasco
Gingko biloba
Endívia
Trigo-sarraceno

[caso coma estes alimentos, tente fervê-los para reduzir em 30% a quercetina, o kaempferol e a rutina]

Leia mais: “Dieta Cetogênica não é igual para homens e mulheres” Entrevista exclusiva com a endocrinologista Janaína Koenen

Tireoide para além da alimentação

Como mencionei no início do post, não consigo conceber uma disfunção mais complexa do que problemas na tireoide. O diagnóstico é complicadíssimo, os exames nem sempre são eficazes e os sintomas são demasiadamente subjetivos. A minha recomendação é investir em um bom médico nesta hora e não neurotizar com listas de sintomas e tratamentos na internet.

Estresse, agrotóxicos, produtos químicos presentes em shampoo, pasta de dente, desodorante etc surgem como grandes inimigos da tireoide.

Para facilitar ainda mais, há evidência de que os chamados halogênios competem com o iodo na hora da absorção na glândula. Seriam flúor, bromo e cloro problemas sérios a considerar.

Mas, mais problemático, é viver uma vida em que até tomar banho se torna um inimigo por conta do cloro na água. Em que o desodorante é leite de magnésia e os shampoos e pastas de dente são feitos em casa (porque pastas de dente industrializadas, mesmo sem flúor, contêm açúcar, o que pode ser um problema para a saúde da gengiva e, portanto, do organismo todo).

Ou seja, a chance de você enlouquecer tentando cuidar da tireoide é grande e isso te levará ao primeiro espectro da desregulação, o estresse.

Por isso, de tudo que vimos aqui, quero pontuar o que considero prioritário:

Reduza seu estresse: mesmo que para isso você tenha que abdicar do seu autointitulado cargo de supermulher.

Respeite os ciclos naturais: mulheres são profunda e intensamente impactadas pelos ciclos circadianos e pelos ciclos da natureza ao nosso redor. Ouça seu corpo na ovulação e na TPM e abrace-o ou ele se tornará um inimigo. Durma. Repouse. Silencie. Desligue as malditas telas à noite.

Sua ovulação e TPM são uma resposta a como você viveu os 15 dias anteriores: mulheres são ciclos e sua próxima TPM inicia já no primeiro dia da menstruação. Se você se torna um ser frenético assim que menstrua porque a energia retorna, você estará perpetuando o ciclo: subindo demais por decisão própria e pagando o preço da descida demais quando a ovulação chegar.

Corte o lixo da alimentação: para quem já está na Cetogênica, é algo desnecessário de dizer, mas vale salientar: dias de lixo na Keto contêm iogurte natural, água de coco e frutas. Dias de lixo não são dias de pão e bolo. A mesma lógica acima citada se perpetua: não suba demais ou descerá demais depois. O foco é destruir a montanha russa que é a vida feminina e gerar uma mera oscilação natural ao ser humano.

Coma: nada mais comum do que ler que a Cetogênica gerou hipotireoidismo e descobrir que a mulher fazia jejuns extensos e passeava pela tênua linha da anorexia sem saber. 1.500 calorias diárias é o que eu preconizo como mínimo, isso para mulheres sedentárias e inativas. Lembre-se que apenas seu cérebro consome 500 calorias diárias. Alimente-se com muitos ovos e boas carnes.

A destruição é rápida, mas a reconstrução é lenta: meus médicos sempre diziam que, para cada ano de destruição, precisaremos de dois anos de reconstrução. Ingênuos, porque estou fechando 15 anos de reconstrução metabólica pós-anorexia e não estou nem perto de algo satisfatório. Porém, manter esta reconstrução como um sentido de vida nos dá o que sempre nos faltou: confiança nos processos e maturidade positiva, pagar feliz o preço da destruição gerada por nós mesmas.

Vá ao médico: google não salvará sua tireoide e temo dizer que a maioria esmagadora dos endocrinologistas também não. Portanto, se há uma especialidade médica que merece o salário do mês para 1h de consulta é o endocrinologista. Invista em um bom médico para tirar suas dúvidas sobre sua saúde hormonal. Busque um médico que acredite que você come o mínimo possível para um ser humano e mesmo assim não emagrece. Caso ele não acredite, troque de médico. (Aproveito para dizer que, se seu marido não acredita no sofrimento que seu corpo te coloca, troque de marido).

Reduza os alimentos citados acima se você os consome em abundância: é justo lembrar que a Dra. Georgia Ede é tida como uma das maiores referências no mundo em Dietas de Baixo Carboidrato. Dra. Ede é bastante radical com relação aos problemas que o consumo excessivo de vegetais podem gerar no corpo humano. Digo isso não porque vou contra a fala de Ede, mas sim porque é honesto e importante você saber o viés inicial da principal fonte utilizada neste texto. Reduza sim, mas respeite seus limites pessoais. Um passo por vez.

Da minha parte, fica a conclusão óbvia: diminua aquilo que te desequilibra, seja na nutrição ou na vida cotidiana, e coma seus ovos. Não há saúde hormonal sob estresse, restrição calórica, ansiedade e deficiência proteica.

Sugestões em dietas low carb:

Precisamos de boas doses de Vitamina A, D, C. Pegue sol, coma vísceras, ovos, peixes e frutas cítricas (na quantidade necessária). Para o selênio, castanhas do pará e carnes (porco, peixe, frango, peru). Zinco no iogurte natural, carnes, laticínios, ovos.

Eliminar frutas: maçã, uva, mirtilo, damasco, frutas secas, manga, banana, abacaxi. Consumir: melão, limão, kiwi, morango, pêssego, ameixa, melancia, abacate.

Melhores vegetais: Espinafre (magnésio e ferro), alface, nuts, sementes de abóbora (zinco). Sei que não são muitos, mas são os mais seguros. Não estamos falando de cortar os outros, até porque teremos uma boa dose de iodo diária, mas de se sentir tranquila ao optar por espinafre refogado em vez de brócolis.

Melhores chás: Dente de leão, rhodiola rósea, gengibre. Surpreendentemente, chás possuem alto índice de flúor. No mundo ideal, beberemos mais caldo de ossos ou água flavorizada com gengibre e/ou cúrcuma com gotas de limão.

ASSISTA TAMBÉM | Menstruação, Hormônios e Mulheres na Dieta Cetogênica: será que mulheres não podem mesmo entrar na Keto?

 

15
Deixe um comentário

Faça login para comentar
avatar
1000
8 Sequência de comentários
7 Respostas nesta sequência
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário mais bem avaliado
9 Quantos comentaram
MarianeValériaFernanda Geribello AndersMarcelleLucrécia Martins De Melo Mendes Autores recentes
  Receba notificações por email  
novos antigos mais votados
Notificações de
Carlinha Fernandes
Membro
Carlinha Fernandes

Nossa, que post maravilhoso! Tudo que eu precisava ler. Fico ciclando a estratégia cetogênica e sempre que me estendo mais em cetose, minha tireoide reclama (tenho hipo sub-clínico), dessa última vez fiz 50 dias de cetogênica e tomei lugol todos os dias, no final refiz meus exames e quando fui mostrar pra meu médico, ele comentou que de todos que já fiz, esse foi meu pior resultado, meu TSH nunca tinha dado tão alterado. Lendo seu post posso concluir que o uso do lugol não deu bom rsrsr, vivendo e aprendendo. Próxima vez que voltar à estrategia cetogênica, com certeza irei maneirar no consumo dos vegetais citados (sou aloKa do brócolos, couve-flor e repolho, como moooito) e já suspendi o uso do lugol, com certeza será bem melhor. Super obrigada por tanto conteúdo.

Roberta da Graça Jacques
Visitante
Roberta da Graça Jacques

POST muito esclarecedor e assustador! Aguardando nossa consulta em fevereiro!

Pati Siqueroli
Membro
Pati Siqueroli

Eu leio o excelente conteúdo do seu site, assisto aos vídeos do seu canal no YouTube, há tantas doenças sérias que levam à obesidade, tenho que admitir que sinto vergonha. Sou saudável feito um cavalo de corrida, mesmo com 284kg minha pressão nunca passou de 12/8,nos exames, todas as taxas são excelentes, eu destruí meus joelhos e minha lombar exclusivamente com compulsão alimentar. Aí surge a pergunta, precisava de tudo isso???? Não precisava, mas era o que eu conseguia fazer naquele momento. Pena. Vida que segue, hoje, sou uma nova pessoa, se reconstruindo e renascendo de si mesma. 8 dias de keto, que venham muitos anos. Gratidão por seu excelente trabalho e sua dedicação à pesquisa.

Lucrécia Martins de Melo Mendes
Visitante
Lucrécia Martins de Melo Mendes

Eita! Que texto viu? Você sempre me surpreende com a sua lucidez controvertida Juliana!

Marcelle
Visitante
Marcelle

Olá!
É complicado confiar nos médicos…tenho hipotireoidismo. Essa semana a minha endócrino, do plano de saúde, ao citar que eu estava sentindo determinados sintomas, simplesmente me disse: “vc não está com nenhum problema hormonal. Então como foge da minha alçada, oriento procurar um psiquiatra”. Oi?? Eu levei pra ela exame de sangue de TSH, T3 livre e T4 livre somente! Ainda assim, não acredito que o fato de estar dentro da “normalidade” é necessariamente bom para as pessoas. E não, também não estou em busca de me entupir de medicação. Ela não poderia ter feito outras considerações? ter solicitado outros exames? Difícil…Paralelamente, sigo tendo episódios compulsivos e cada vez mais desanimada. Talvez o pior ano e termos descontrole. São muitas coisas, né?! Desculpa se fugi demais do tema…rs
Juuuu, tu recebeu meu questionário?? (mar150721@yahoo.com.br)
Enfim, adoro o seu trabalho! Acho vc foda! Tenho sede em ler os seus conteúdos e assistir aos seus vídeos.

Fernanda Geribello Anders
Membro
Fernanda Geribello Anders

Ju, o médico Dr. Bomeny, na última palestra da Tribo Forte sugeriu que a resistência à insulina prejudica muito a tiróide. Faz muito sentido! Vivemos uma epidemia dos dois problemas!

Valéria
Visitante
Valéria

Tenho hipo. Tomo medicação há mais de 10 anos e sou compulsiva. Consigo fazer dieta mas não prossigo então sempre estou na corda bamba..

Mariane
Visitante
Mariane

O que fazer com a vontade alucinada de doces e chocolate na TPM? Estou tentando com panqueca low carb de frutas vermelhas… Mas… tá P.H.O.D.A.