Artigos

Cetogênica e diabetes: novo estudo da Noakes Foundation comprova remissão da doença

diabetes tipo 2 tratamento cura cetogenica low carb

É com muito orgulho que divulgo os novos dados publicados pela The Noakes Foundation, instituição em que estudo, sobre os benefícios da Dieta Cetogênica e Low Carb no tratamento e remissão da diabetes tipo 2. Meus professores lideraram o estudo observacional (não randomizado), com 28 pessoas.

Para participar, as pessoas precisavam ter um diagnóstico formal de diabetes tipo 2 e deviam seguir uma dieta low carb e/ou cetogênica por no mínimo seis meses, apesar de que este tempo foi bem variável. Alguns já estavam em LCHF por mais de dois anos, por exemplo.

Os seis meses iniciais formaram o chamado first assessment (primeira avaliação), quando os pesquisadores convocaram os participantes para realização de exames e questionários.

A partir daí, foram acompanhados por mais 15 meses, no chamado follow up. É importante que você entenda estes dois períodos do estudo para avaliar os resultados em seis e em 15 meses.

Durante os seis meses iniciais, quase um terço dos participantes optou por uma dieta de baixíssimo carboidrato (menos do que 50g de carboidratos totais ao dia), mas a maioria consumiu entre 50g e 115g de carboidratos totais ao dia. As dietas eram minimamente processadas e incluíam peixes, carne, ovos, laticínios, vegetais sem amido, nuts e óleo de coco.

Dos 28 que fizeram a dieta por no mínimo seis meses, 24 completaram o período seguinte, chegando ao follow up após 15 meses. Vamos ver os resultados surpreendentes?

Passe o link a seguir ao seu médico quando ele lhe indicar insulina para diabetes, por favor. Clica aqui para acessar o estudo original ou leia abaixo o que o link diz, em português.

Apoie o Revolução Keto

Faça sua doação para expandir
a Dieta Cetogênica no Brasil.

Low carb e cetogênica no tratamento e remissão da diabetes tipo 2

  • A hemoglobina glicada (também chamada de HbA1C ou A1C) dos participantes, principal marcador da diabetes tipo 2, era em média 7.5% antes do início da dieta de baixo carboidrato. Isso é, sem dúvidas, diabetes tipo 2. Na primeira avaliação (seis meses),  o marcador havia caído para 5,8% e se manteve estável em 5,9% na época do follow up (acompanhamento, aos 15 meses). Veja também: como saber se você tem pré-diabetes e resistência à insulina
  • Dos 24, sete participantes tiveram remissão da diabetes. Em termos simples, se curaram da doença. Isso é definido por uma hemoglobina glicada abaixo de 5,7% sem a utilização de medicamentos quaisquer.
  • Três participantes tiveram remissão total potencial. Ou seja, atingiram o critério de remissão total da doença no período final de 15 meses, mas não haviam atingido tal resultado aos seis meses ainda.
  • Sete participantes tiveram remissão parcial da diabetes tipo 2, definida por uma hemoglobina glicada abaixo de 6,5% sem medicações à exceção de metformina.
  • Das 11 pessoas que usavam insulina antes de entrarem em low carb / cetogênica, oito pararam com a insulina. Dois reduziram a dose drasticamente.
  • A perda de peso em low carb e cetogênica reportada pelos participantes foi de 16kg, lembrando que o tempo em que ficaram na dieta foi bastante variável.
  • Nas pessoas que iniciaram a low carb / keto logo após receberem o diagnóstico de diabetes tipo 2, a hemoglobina glicada caiu dramaticamente, de uma média de 9,5% para 5,5% no início do estudo. A queda prosseguiu e parou na média de 5,4% no follow up.
  • Os participantes relataram fome e episódios de compulsão reduzidos como os aspectos mais importantes da dieta.
  • Vale dizer que eles também manifestaram a sensação de abandono por seus médicos.
  • 100% dos participantes reportaram que a dieta low carb e/ou cetogênica teve grande impacto na diabetes tipo 2, seja pela remissão ou redução de medicamentos, especialmente a insulina.

Leia também: Diabetes Tipo 2 pode ser revertida. Leia as top 10 questões para acabar com uma das maiores epidemias do mundo

É um estudo pequeno e observacional, temos consciência disso. Mas, é um passo imenso para a África do Sul, em que a epidemia da diabetes mata mais do que a AIDS: estatísticas apresentadas nas aulas da fantástica nutricionista Tamzyn Murphy, uma das pesquisadoras deste estudo e responsável, também, por acompanhar o trabalho de nós, alunos da Fundação Noakes, de perto.

Gratidão, prof Noakes! Eat better, South Africa!

Assista abaixo ao médico Bret Scher, nosso professor de cardiologia em Low Carb e Cetogênica, falando sobre os resultados deste estudo no site Diet Doctor. Scher é Diretor Médico do Diet Doctor, o maior site de Low Carb do mundo.

7
Deixe um comentário

Faça login para comentar
avatar
1000
4 Sequência de comentários
3 Respostas nesta sequência
0 Seguidores
 
Comentário com mais reações
Comentário mais bem avaliado
5 Quantos comentaram
camilaIrma OselloIsabella CavalcantiJuliana SzablukCelia Rossi Autores recentes
  Receba notificações por email  
novos antigos mais votados
Notificações de
Celia Rossi
Visitante
Celia Rossi

Td otimo. Mas gostaria de ver a traduçao ou legenda no video. Grata pelo post

Isabella Cavalcanti
Visitante
Isabella Cavalcanti

Ju, bom dia! Semana passada vi, por acaso, um vídeo teu no youtube e decidi procurar mais infos sobre vc e cheguei até aqui e queria contar um pouco da minha história! No final de 2013 eu estava pré-diabética tomando glifage, com colesterol alto, pesando 105kg e obesidade grau 2. Já tinha feito todo tipo de dieta e exercícios e a única coisa efetiva para mim, até então, eram os remédios anorexígenos. Mas aí conheci a lowcarb e comecei a fazer Atkins seguindo o livro antigo de Dr. Atkins e dps comecei a seguir a Atkins revisada por Phinney e Volek. Perdi 27kg, minha glicose baixou para 78 e o colesterol para 151, passei 2 anos e meio seguindo Atkins à risca e tive os melhores anos de minha vida. Até que em 2016 sucumbi e fui voltando aos hábitos antigos, engordando, até que em 2019 cheguei a recuperar 20 dos 27kg perdidos. Achar teu vídeo por acaso foi um… Ler tudo »

Irma Osello
Visitante
Irma Osello

Olá Juliana, boa noite.
Eu assisti um vídeo seu, sobre o aparelho de medir corpos cetonicos .
Procurei na farmácia Onofre , e vi que eles disponibilizam o aparelho que mede insulina e as fitas de cetose . É isso mesmo ?
Fico agradecida se puder me instruir .
Grata
Irma Osello

camila
Visitante
camila

Oi Ju! Preciso te dizer que estou encantada com a cetogenica…Não tenho desordens metabólicas nem compulsão contudo me deparei com a cetogenica quando procurava respostas para a infame candidíase de repetição. Pensei que era uma dieta, apenas uma dieta. Mas me enganei, minha vida sempre foi regada de muito carbo e sempre me senti anestisiada, com uma inclinação para a depressão. Essa dieta(estilo de vida) não apenas mudou meu corpo mas principalmente minha mente…estou vivendo esse momento: “entre pelo corpo, fique pela mente”. Mas falei tudo isso pra te pedir um conselho…Como introduzir a keto na vida dos filhos? Agora que tenho a consciencia dos danos que o carbo pode trazer na qualidade de vida fico inquieta ao ver meu filho pedindo biscoitos,bolos,doces…E ainda, como lutar contra a cultura do carbo? Angustiada!!! um grande abraço mulher de luz! Assisto seus videos e sei que voce chegou a lugares muito obscuros aqui nesse plano, mas quando saiu de la trouxe muita… Ler tudo »